Vidas Secas


Adaptação da obra homônima de Graciliano Ramos pela companhia ítalo-brasileira Caravan Maschera. Com imagens fortes e poéticas, o espetáculo chega à cidade depois de participar de importantes festivais internacionais. As marionetes da peça foram inspiradas em quadros de Portinari e fotos de Sebastião Salgado. 16, 19, 23 e 26 de janeiro, às 20h. CAIXA Cultural  (Avenida Alfredo Lisboa, 505, Bairro do Recife). R$ 30 e R$ 15 (meia), à venda na bilheteria.

ADULTO


Elza


A trajetória de Elza Soares é sinônimo de resistência e reinvenção. As múltiplas facetas apresentadas ao longo de sua majestosa carreira estão em cena no musical Elza. Larissa Luz, convidada para a montagem, e outras seis atrizes selecionadas após uma bateria de testes dividem a missão de evocar a intérprete. Dia 19 de janeiro, às 20h, e 20 janeiro, às 18h. Teatro Guararapes (Avenida Prof. Andrade Bezerra, Salgadinho, Olinda). R$ R$ 100 (plateia especial), R$ R$ 90 (plateia), R$ 60 (balcão), à venda nas lojas da Ticketfolia dos shoppings Recife, RioMar, Tacaruna e Guararapes. Todas entradas possuem meia-entrada. Informações: (81) 3182.8020

BR-TRANS


Idealizado e protagonizado pelo ator Silvero Pereira, o espetáculo leva aos palcos a experiência de vida da travestilidade e da transexualidade, descontextualizando fatos já contados sobre marginalidade, medo e sofrimento e reposicionando histórias de vida e transformação em cena. 31 de janeiro e 2, 7 e 9 de fevereiro, às 20h. CAIXA Cultural  (Avenida Alfredo Lisboa, 505, Bairro do Recife). R$ 30, R$ 15 (meia), à venda na bilheteria.

INFANTIL


Casa Caramujo


Casa Caramujo conta a história de Jonas que, ao perceber que poderá perder sua mãe doente, enfrenta a 'morte' e consegue aprisioná-la dentro de uma casa de caramujo. Ao retornar para casa, encontra sua mãe saudável. Mas, aos poucos, eles e todos os moradores do lugar se deparam com dificuldades: ninguém mais consegue mais colher frutos, legumes e verduras ou até mesmo pescar. 12 de janeiro, às 16h e 18h. 13 de janeiro, às 11h. Caixa Cultural de Recife (Avenida Alfredo Lisboa, 505, Bairro do Recife). R$ 16 e R$ 8 (meia), à venda na bilheteria. Informações: (81) 3425-1915

ESPECIAL


Encontro de gerações


De Bacnaré - Balé de Cultura Negra do Recife. Espetáculo celebra o Bacnaré através de duas montagens. Em Memórias, a vida dos negros escravos que aqui chegaram no período escravocrata. E em Nações Africanas, a diversidade de países como África do Sul, Camarões e Angola. Dia 16 de janeiro, às 20h. Teatro de Santa Isabel (Praça da República, 233, Santo Antônio, Recife ). R$ 40.

Em comum


Cia dos Homens (Recife - PE). Completando 30 anos, a Cia. dos Homens comemora com espetáculo que homenageia a arte dos bonecos. Até que ponto somos manipulados, enxergando o mundo através dos olhos de um boneco? O que nos move? Uma reflexão sobre a descoberta do corpo e do movimento que sai de um ser inanimado até chegar ao bailarino. Dia 16 de janeiro, às 20h30. Teatro Luiz Mendonça (Avenida Boa Viagem, S/N, Boa Viagem, Recife). R$ 30. 

Eu, ele ou você?


De Real Cia. de Teatro Albemar Araújo (Olinda - PE). Em comemoração aos 50 anos do ator/dramaturgo Albemar Araújo, a peça relata passagens da vida cotidiana de qualquer pessoa. Ficção com fatos biográficos. Não é um stand-up, mas não se nega a tal. É um convite ao encontro. Encontro de amigos, inimigos e nós mesmos. É o olhar do outro em nossas vidas - ou nosso próprio olhar em nossas vidas.  Dia 16 de janeiro, às 20h. Teatro Arraial Ariano Suassuna (Rua da Aurora, 457, Boa Vista, Recife). R$ 20

Liberdade assistida


De Traço Cultural (São Paulo - SP). Baseado em depoimentos de ex-detentas, o espetáculo promove ampla discussão sobre as mulheres negras que vivem em liberdade assistida, com encenação da atriz Marta Carvalho, mulher, negra e periférica. Dia 17 e 18 de janeiro, às 19h. Teatro Marco Camarotti (Rua Treze de Maio, 455, Santo Amaro, Recife). R$ 20. 

Obsessão


De Produtores Associados (Recife - PE). A amizade e a rivalidade entre duas mulheres são o ponto de partida da comédia, uma versão pernambucana do espetáculo que estreou em 2012, no Rio de Janeiro. Tem dramaturgia de Carla Faour, indicada ao Prêmio Shell de Melhor Autor pelo trabalho, e direção de Henrique Tavares, também indicado ao Prêmio. Dia 18 de janeiro, às 20h. Teatro de Santa Isabel (Praça da República, 233, Santo Antônio, Recife). R$ 30. 

Poesia ao vivo - Palavra de mulher


De Sônia Bierbard (Recife - PE). Monólogo com textos adaptados das obras de Clarice Lispector, Maria do Carmo Barreto Campello de Melo e Sônia Bierbard, seguido de bate-papo com personalidade feminina. Nesta conversa, faz-se um aprofundamento na poesia viva de seu trabalho/missão, comprovando que poesia se faz com alma e que ela pode estar em toda obra: teatral, gastronômica, arquitetônica, esportista, de dança e artes marciais. Dia 18 de janeiro, às 20h. Teatro Arraial Ariano Suassuna (Rua da Aurora, 457, Boa Vista, Recife). R$ 30. 

Mar de histórias


De Cia Maravilhas (Recife - PE). Banhado por cantos, poesia, uma pitadinha de teatro de bonecos e muita imaginação, o espetáculo conta a história de Fátima, a fiandeira; do peixinho encantado e do marido de Mãe d’água. Apresenta repertório de narrativas tradicionais resgatadas do mais profundo oceano de nossas memórias, com algum mistério e um certo encantamento. Dia 19 e 20 de janeiro, às 16h. Teatro de Bolso Silvio Pinto. R$ 20. 

Diário de um louco


De Haja Teatro (Recife - PE). A peça é uma aventura invulgar vivida por um funcionário atormentado que, perdido de amores pela filha do diretor e condenado a “ouvir e ver coisas que ainda ninguém viu nem ouviu”, decide perseguir o animal de estimação da moça, “a ver o que é que ele pensa”. O real e o fantástico, o normal e o patológico, o razoável e o delírio (...), a ponto de o espectador se sentir desconfortavelmente a assistir ao sofrimento de um ser humano a quem a identidade se vai estilhaçando com rapidez e intensidade. Dia 19 de janeiro, às 20h. Teatro de Bolso Silvio Pinto. R$ 20. 

Despertar celebração


De Balé Popular do Recife (Recife - PE). O resgate das manifestações populares e folclóricas de forma lúdica, interpretadas para que o público sinta o impacto dos movimentos tradicionais, adaptados através de pesquisas. Dia 19 de janeiro, às 20h30. Teatro Luiz Mendonça (Avenida Boa Viagem, S/N, Boa Viagem, Recife). R$ 40. 

Chico, eu e Buarque - Fragmentos poéticos


De Núcleo Arte Educação do Teatro Arthur Azevedo (São Luís - MA). Marcado pela imersão na obra de Chico Buarque, da poesia cantada ao viés político, o espetáculo trabalha com os desordenamentos e desconstruções da poesia do compositor. Em três atos, passeia pelas relações de poder, pelo Chico poeta romântico e pela mistura de seus clássicos com a cultura popular maranhense. Dia 19 de janeiro, às 21h. Teatro de Santa Isabel (Praça da República, 233, Santo Antônio, Recife). R$ 50. 

Os três porquinhos


De Pedro Portugal e Paulo de Castro | Recife - PE. Prático, Cícero e Heitor estão às voltas com um terrível e faminto Lobo Mau. Enquanto o porquinho Prático constrói sua casa com tijolos e cimento, seus irmãos, Cícero e Heitor, de tanta preguiça, levantam seus abrigos com palha e madeira. A trama clássica mostra que viver sem pensar no futuro pode trazer desconforto e vários problemas. Dia 20 de janeiro, às 20h. Teatro Boa Vista (Rua Dom Bôsco, Boa Vista, Recife). R$ 40. 


Planeta feliz
A convite do Palhaço Chocolate, os irmãos Helena e Henrique embarcam numa viagem espacial por sete planetas coloridos, onde recolhem as peças da Máquina da Paz, capaz de fazer da Terra um planeta feliz. Dia 20 de janeiro, às 16h. Teatro Boa Vista (Rua Dom Bôsco, Boa Vista, Recife). R$ 40. 


Geraldo Maia - Noite cheia de estrelas
De Taquaritinga do Norte, PE. Geraldo Maia interpreta as canções que marcaram o seu repertório ao longo de quase quatro décadas de carreira. Imprimindo sempre a sua marca pessoal em tudo o que canta, Geraldo pinça da MPB alguns clássicos, que vão de Noel Rosa a Custódio Mesquita, de Ataulfo Alves a Manezinho Araújo, de Herivelto Martins a Adelino Moreira, de Ary Barroso a Lamartine Babo, e alia a esse precioso "caldeirão" algumas de suas canções autorais. Dia 20, às 18h. Teatro de Santa Isabel (Praça da República, 233, Santo Antônio, Recife ). R$ 40. 


Magna
Diagnosticada com câncer de mama em 2017, a bailarina e coreógrafa Christianne Galdino, que perdeu a mãe com esta doença, parte de sua história pessoal para retratar a trajetória das mulheres, aos milhares, que a cada ano recebem este diagnóstico. Uma mescla de dança popular, mágica e tecido acrobático. Dia 20 de janeiro, às 18h. Teatro Luiz Mendonça (Avenida Boa Viagem, S/N, Boa Viagem, Recife). R$ 30. 


A estrada e o vento - Lucas Oliveira interpreta Elomar
De Lucas Oliveira e Camerata dos 7 Guias (Recife-PE). O etnomusicólogo recifense Lucas Oliveira apresenta a obra de Elomar Figueira Mello, ícone do cancioneiro nordestino. Lucas  reúne em sua apresentação vozes, violões, flautas, violino, viola e sanfona, com a participação da artista Maria Oliveira e da Camerata dos 7 Guias, levando o público para um sertão profundo, que se localiza, como disse Guimarães Rosa, "dentro da gente". Dia 20, às 18h. Teatro Arraial Ariano Suassuna (Rua da Aurora, 457, Boa Vista, Recife). R$ 30.


O mascate, a pé rapada e os forasteiros
De CACO – Companhia de Artes Cínicas com Objetos | Paulista - PE. Através do teatro de objetos, é contada uma versão histórica/fictícia da origem de Olinda e do Recife. Usando fatos históricos como base para o enredo, narra-se a vida de Olinda, uma linda mulher, e de Recife, seu namorado, a partir da chegada de Portugal e Holanda, exploradores das riquezas naturais desse casal. Dia 20 de janeiro, às 20h. Teatro de Bolso Silvio Pinto. R$ 20.