OPERAÇÃO

Ramiro dos caminhoneiros é um dos presos pela PF nesta sexta (20)

Publicado em: 20/01/2023 16:31 | Atualizado em: 20/01/2023 16:33

 (Foto: Ed Alves/CB/ DA press)
Foto: Ed Alves/CB/ DA press
Entre os suspeitos de participar de atos golpistas que foram presos nesta sexta-feira (20), pela Polícia Federal, está um dos organizadores dos movimentos antidemocráticos Ramiro Alves da Rocha Cruz Júnior, conhecido como Ramiro Caminhoneiro. As informações são do jornal O Globo.

Ele e outros sete pessoas envolvidas com a manifestações que vandalizaram os prédios públicos na Praça dos Três Poderes no último dia 8, em Brasília, são alvos de prisões preventivas em cumprimento à Operação Lesa Pátria.

Segundo a PF, quatro pessoas já foram encarceradas. Além das prisões, a corporação efetuou 16 mandados de busca e apreensão. As decisões judiciais foram realizadas no Distrito Federal, São Paulo, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Goiás e Rio de Janeiro. 

Os crimes investigados são: abolição violenta do Estado Democrático de Direito, golpe de Estado, dano qualificado, associação criminosa, incitação ao crime, destruição e deterioração ou inutilização de bem especialmente protegido.

"As investigações continuam em curso e a Operação Lesa Pátria se torna permanente, com atualizações periódicas acerca do número de mandados judiciais expedidos, pessoas capturadas e foragidas", informou a PF.

Quem é Ramiro dos caminhoneiros
Apontado por outros presos acusados de atos de vandalismo, Ramiro dos caminhoneiros foi um dos incentivadores das invasões aos prédio do Congresso, do Palácio do Planalto e do Supremo Tribunal Federal (STF). Ramiro dos Caminhoneiros é filiado ao PL - mesmo partido que o ex-presidente Jair Bolsonaro - e foi candidato a deputado estadual por São Paulo nas eleições do ano passado. 

Assim como seu correligionário, Ramiro dos caminhoneiros não se elegeu. Segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ele recebeu R$ 150 mil em recursos do PL.

Como apoiador dos movimentos golpistas, Ramiro visitou os extremistas detidos no ginásio da PF no último dia 10. Na ocasião, ele gravou vídeos de apoio aos suspeitos detidos e divulgou em seus perfis nas redes sociais. "Quando eu cheguei aqui, abriram a cancela miraculosamente. Eu não tenho palavras para descrever isso, coisa de Deus", disse ele, em vídeo. 

No Instagram, Ramiro dos Caminhoneiros acumula 70 mil seguidores. Em seu perfil, Ramiro dos caminhoneiros postava mensagens de incitação a acampamentos antidemocráticos. Ele divulgou um vídeo em que inflamava as pessoas a irem às manifestações antidemocráticas do dia 8/1. 

Nos vídeos, o bolsonarista espalha desinformação sobre os detidos em Brasília, como na ocasião em que disse que havia mortos no ginásio da PF. Em seu perfil, o detento da PF também pede doações via PIX para um telefone com DDD de São Paulo (011). 


Bolsonarista que agrediu enfermeiras também é preso
A operação Lesa Pátria também prendeu Renan Silva Sena. Ex-funcionário terceirizado do Ministério da Mulher, Família e dos Direitos Humanos, o detento ficou conhecido, durante a pandemia de Covid-19, em 2020, por agredir enfermeiras que se manifestavam em defesa do isolamento social, orientado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e outras autoridades sanitárias.

Renan Silva Sena foi preso em casa, no DF, onde os agentes encontraram R$ 22 mil em espécie. 

No mesmo ano em que agrediu as profissionais de saúde, Renan tinha sido levado à delegacia pelos crimes de calúnia e injúria, após divulgar vídeo com ofensas contra autoridades dos três Poderes e o governador do DF, Ibaneis Rocha (MDB). Ao assinar um termo de comparecimento em juízo, ele foi liberado.

Quem são os outros presos pela PF
Além de Ramiro dos caminhoneiros e o homem que agrediu enfermeiras, agentes da PF prenderam Randolfo Antonio Dias, em Belo Horizonte. Segundo apurações da corporação, ele participava do acampamento bolsonarista em frente ao Quartel do Exército na capital mineira. 

Ainda de acordo com a PF, Rodolfo incitava ações ilegais como bloqueio de refinarias. Ele também, conforme a PF, usava grupos de mensagens enviar áudios desejando a morte do Presidente Lula e do ministro do STF Alexandre de Moraes. 

Suspeita de ter relações com atos extremistas, a intérprete de Libras Soraia Bacciotti é do Mato Grosso do Sul e foi presa nesta sexta-feira, pela PF.
Tags: ramiro | caminhoneiro | preso | pf |

COMENTÁRIOS

Os comentários a seguir não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.