EUA

EUA prendem iraquiano por tramar assassinato de George W. Bush

Por: AFP

Publicado em: 24/05/2022 21:15

 (Foto: MANDEL NGAN / AFP
)
Foto: MANDEL NGAN / AFP
Um iraquiano que solicitou asilo político nos Estados Unidos conspirou para assassinar o ex-presidente George W. Bush, anunciou o Departamento de Justiça americano nesta terça-feira. 

Shihab Ahmed Shihab, 52, disse a um informante do FBI que queria introduzir pelo menos quatro outros iraquianos no país através da fronteira com o México para colocar o plano em prática, segundo uma declaração juramentada do FBI apresentada em um tribunal federal de Columbus, Ohio.

Dois dos integrantes da equipe de ataque seriam ex-agentes da inteligência iraquiana, enquanto os outros seriam membros do grupo Estado Islâmico (EI) ou de outro grupo sediado no Catar, que Shihab chamava de "Aal-Raed".

Shihab disse ao informante que eles queriam matar Bush, que ordenou a invasão ao Iraque em 2003, porque o consideravam "responsável pelo assassinato de muitos iraquianos e pelo colapso de todo o Iraque", segundo o expediente. Acrescentou que era primo do ex-chefe do EI Abu Bakr al-Baghdadi e que havia matado americanos nos anos posteriores à invasão.

Shihab foi detido hoje e acusado em um tribunal federal de crime de imigração e cumplicidade na tentativa de assassinato de um ex-funcionário americano.

Morador de Columbus, Shihab e o informante chegaram a vigiar locais ligados a Bush em Dallas, Texas, e discutiram como obter armas, uniformes de seguranças e veículos para realizar o plano. O iraquiano também se ofereceu para ajudar um segundo informante do FBI a introduzir membros de sua família nos Estados Unidos por algumas dezenas de milhares de dólares.

Shihab chegou aos Estados Unidos com visto de visitante em setembro de 2020 e pediu asilo em março de 2021, quando seu visto expirou.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
WIDGET PACK - Sistema de comentários

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.


Mais lidas

Últimas