PANDEMIA

Após primeiro óbito, Piauí cobra equipamentos e investimentos de Bolsonaro

Por: FolhaPress

Publicado em: 29/03/2020 13:08

"O problema mais grave é que quase não chegaram as coisas anunciadas. Nem para estados, nem municípios", reclamou Wellington Dias (foto) (Foto: Marcelo Camargo / ABr)
"O problema mais grave é que quase não chegaram as coisas anunciadas. Nem para estados, nem municípios", reclamou Wellington Dias (foto) (Foto: Marcelo Camargo / ABr)
Após o primeiro óbito por Covid-19 ser confirmado no Piauí neste sábado (28), o governador do estado, Wellington Dias (PT), disse à reportagem que espera uma posição do governo federal para que possa receber os investimentos, equipamentos, materiais e respiradores adequados para combater a pandemia, que infectou, até o momento, 11 pessoas no estado.
 
"O problema mais grave é que quase não chegaram as coisas anunciadas. Nem para estados, nem municípios", reclamou Dias. "Tive que contratar pessoal extra, comprar EPI (equipamento de proteção individual), ter mais UTI e sala de estabilização, tudo isso por R$ 65 milhões. Esses bilhões que estão falando não estão chegando", apontou o governador, fazendo referência aos R$ 85,8 bilhões prometidos pelo governo federal para o combate à crise gerada pela pandemia.
 
"O que chegou de material foi a conta-gotas. O EPI, eu comprei com antecedência, porque, se esperasse do Ministério [da Saúde], estaríamos em situação gravíssima. E precisamos dos respiradores. Não se faz uma política de segurança para coronavírus sem respirador", reclamou o governador do Piauí. No momento, o estado tem aproximadamente 210 leitos de UTI para combater o novo coronavírus, mas o ideal, segundo ele, seria alcançar em torno de 450.
TAGS: #coronavirus | #piaui |
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.


Mais lidas

Últimas