CIGARROS ELETRÔNICOS Juul promoveu cigarros eletrônicos ilegalmente, afirma agência reguladora dos EUA

Por: Diario de Pernambuco

Publicado em: 17/09/2019 15:30 Atualizado em: 17/09/2019 15:39

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação
O governo americano e os estados de Nova York e Michigan tentam proibir os cigarros eletrônicos com sabor depois  registro de centenas de casos de doenças pulmonares graves e mortes nos Estados Unidos.

A FDA (agência de fiscalização e regulamentação de remédios dos EUA) afirmou que a Juul Labs, empresa que lidera o mercado americano de cigarros eletrônicos, comercializou ilegalmente seus produtos como uma alternativa menos nociva aos cigarros tradicionais.

A agência escreveu uma carta de advertência destinada à Juul, dizendo que a companhia violou regulamentos federais, já que não havia recebido aprovação federal para divulgar e vender seus produtos de "vaping" como alternativa mais saudável ao cigarro.

Cinco mortes foram vinculadas ao "vaping", e centenas de pessoas foram hospitalizadas. O cenário é preocupante principalmente para o público jovem, que representa a maioria de seus consumidores. Os níveis elevados de nicotina nos produtos da Juul preocupam devido aos seus efeitos nos cérebros ainda em desenvolvimento de uma geração de adolescentes e por seu potencial em reverter décadas de declínio no fumo.

O presidente norteamericano, Donald Trump, declarou que iria remover do mercado os cigarros eletrônicos e vaporizadores de sabores a base de nicotina, não incluindo os que são a base de tabaco.

A FDA apresentou exemplos que representam violações. Entre eles está a declaração do presidente-executivo da Juul, Kevin Burns, dizendo que o sistema de "vaping" foi projetado "para aquecer nicotina líquida e propiciar aos fumantes a satisfação que desejam sem a combustão e os danos a ela associados".

Também são mencionados depoimentos ao Congresso sobre uma palestra em uma escola. Um representante da Juul disse aos estudantes que os produtos da marca "eram muito mais seguros que os cigarros".

No Brasil, apesar de serem proibidos, os cigarros eletrônicos são facilmente encontrados. É possível comprar vaporizadores da Juul, sem esforço, pela internet. Um kit para iniciantes custa entre R$ 250 a R$ 450. Em 2018, o valor de mercado da empresa foi estimado em US$ 16 bilhões.

Representantes da Juul Labs afirmaram saber da entrada ilegal do produto no Brasil, mas negaram que eles fossem originais, já que a empresa não tem revendedores na América Latina.

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) confirmou ter uma equipe para monitorar os anúncios irregulares e que, desde 2017 até hoje, retirou 727 anúncios de cigarros eletrônicos da internet . Esse tipo de propaganda e venda ilegal tem penalidades que vão desde advertência e apreensão do produto até multa, que varia de R$ 2.000 a R$ 1,5 milhão.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.


Últimas