Ilegalidade PM encontra fábrica clandestina de submetralhadoras na Grande SP

Por: FolhaPress - FolhaPress

Publicado em: 01/07/2019 19:06 Atualizado em:

Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil (Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil)
Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil
A Polícia Militar localizou uma oficina usada para a fabricação clandestina de armas, na tarde desta segunda-feira (1) em Suzano (Grande SP). Dois homens, 35 e 45 anos, foram presos em flagrante por porte e fabricação ilegal de armamentos. A defesa deles não foi encontrada pela reportagem. 

Segundo a PM, duas viaturas faziam ronda, pelo bairro Parque Maria Helena, quando desconfiaram da atitude de um dos acusados. "O homem [dono da oficina] nos viu e entrou no comércio, Por conta disso, resolvemos ir ao local e verificar", disse o tenenteThiago Pires, do 32º Batalhão da PM. 

No momento em que conversavam com o dono do local, de 45 anos, o tenente afirmou que conseguiu visualizar um ferrolho (mecanismo) de arma de fogo sobre uma bancada. "Quando vi o ferrolho, entramos na oficina", afirmou. 

Dentro do local, policiais encontraram quatro submetralhadoras caseiras, calibre nove milímetros, já prontas. Também foram encontrados materiais para a fabricação de armas, além de munições íntegras e deflagradas.  
 
Ao constatar o armamento, a PM deu voz de prisão ao dono do espaço e ao funcionário dele. À polícia, os suspeitos alegaram que produzem as armas há cerca de um mês no local. "Porém, conversamos com o dono do espaço e ele afirmou que o local é alugado pelo dono da oficina há uns dez anos", explicou o tenente. 

O policial acrescentou que, em outras ocorrências, já apreendeu armas semelhantes às encontradas da fábrica clandestina.

A Polícia Civil vai investigar se a dupla fornecia armas a criminosos da região. O valor dos armamentos não foi informado. 

O homem de 45 anos, segundo a polícia, consta com passagem por porte ilegal de arma de fogo e o funcionário dele por receptação. 
O caso foi encaminhado ao 2º DP de Suzano.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.


Últimas