inflação Projeção do IPCA/2020 no cenário de mercado permanece em 3,9% no RTI, como na ata

Por: Agência Estado

Publicado em: 27/06/2019 09:08 Atualizado em:

Marcello Casal/Agência Brasil
Marcello Casal/Agência Brasil
O Banco Central manteve sua projeção de inflação para 2019 no cenário de mercado. Segundo o Relatório Trimestral de Inflação (RTI) divulgado nesta quinta-feira, 27, este cenário indica um IPCA de 3,6% para este ano. O porcentual é o mesmo verificado na ata do último encontro do Comitê de Política Monetária (Copom), publicada na terça-feira (25). 

No RTI divulgado em março deste ano, o BC projetava alta do índice oficial de preços de 3,9% pelo cenário de mercado.

Para 2020, o cenário de mercado indica que o IPCA ficará em 3,9% porcentual também igual ao visto na ata. No RTI de março, a projeção era de 3,8%. Já a projeção para o IPCA de 2021, pelo cenário de mercado, está em 3,9%, indicou o RTI divulgado nesta manhã. No relatório anterior, de março, o porcentual calculado era o mesmo. 

O cenário de mercado usa como parâmetros as previsões dos analistas, contidas no Relatório de Mercado Focus, para a taxa de câmbio e os juros no horizonte da previsão.

Para 2019, a meta perseguida pelo BC é de 4,25%, com margem de 1 5 ponto (taxa de 2,75% a 5,75%). No caso de 2020, a meta é de 4 0%, com margem de 1,5 ponto (taxa de 2,5% a 5,5%). Para 2021, a meta é de 3,75%, com margem de 1,5 (taxa de 2,25% a 5,25%). Na noite desta quinta-feira, após reunião do Comitê de Política Monetária (CMN), o BC divulgará a meta para o ano de 2022. 

No RTI agora divulgado, o BC também apresentou suas projeções de inflação de curto prazo, que abarcam os meses de junho, julho e agosto. A previsão para o IPCA - o índice oficial de inflação - para junho é de 0,01%. Já a projeção para julho é de 0,13% e, para agosto, de 0,10%. 

No Focus mais recente, divulgado na última segunda-feira, as projeções do mercado financeiro para o IPCA eram de -0,02% em junho, 0,20% em julho e 0,12% em agosto.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.


Últimas