MEIO AMBIENTE Prefeito Geraldo Julio assume presidência do ICLEI para América do Sul

Publicado em: 26/06/2019 12:12 Atualizado em: 26/06/2019 12:24

Cerimônia acontece nesta quinta (27) e gestor já está em Bonn, na Alemanha, onde participa da reunião anual da entidade. Foto: Blenda Souto Maior/DP/D.A Press/Arquivo
Cerimônia acontece nesta quinta (27) e gestor já está em Bonn, na Alemanha, onde participa da reunião anual da entidade. Foto: Blenda Souto Maior/DP/D.A Press/Arquivo
ICLEI, rede global de mais de 1.750 governos locais e regionais cujo compromisso é o desenvolvimento urbano sustentável. Nesta quinta (27), a presidência do órgão, para a América do Sul, será assumido por um pernambucano: o prefeito Geraldo. O prefeito já está na cidade de Bonn, na Alemanha, onde acontece a reunião anual do Comitê Executivo Geral (GexCom). O mandato é de três anos.

Há cerca de dois meses, o gestor da capital pernambucana foi indicado pelos demais membros do Conselho Regional. Ele substitui o prefeito de Quito, no Equador, Maurício Rodas, e será o primeiro do Brasil a assumir o cargo. Recife foi indicado pelas demais cidades participantes para liderar o Conselho Regional da América do Sul pelo pioneirismo e efetividade de políticas públicas na área de sustentabilidade, em especial no controle e redução da emissão dos Gases do Efeito Estufa e no enfrentamento às Mudanças Climáticas. O Comitê Regional do ICLEI que será presidido por Geraldo Julio abrange 73 governos locais. O grupo se reunirá anualmente, de forma presencial. Trimestralmente, em audiências virtuais.

O secretário de Meio Ambiente e Sustentabilidade do Recife, José Neves Filho, acompanha o prefeito na viagem à Alemanha. Na GexCom, os gestores terão a oportunidade de apresentar projetos em desenvolvimento na cidade, na tentativa de angariar recursos para execução. Na pauta estarão projetos como o Parque do Jiquiá e o Parque Capibaribe. 

ICLEI - rede global de mais de 1.750 governos locais e regionais e o maior compromisso é com desenvolvimento urbano sustentável. Mais de cem países integram a rede e desenvolvem ações locais para políticas de sustentabilidade, com o desenvolvimento de baixo carbono. O prefeito assume o cargo por três anos. O Comitê Executivo Regional (RexCom) do ICLEI na América do Sul é o órgão de representação regional direta dos mais de 70 governos locais associados à rede, composto por Prefeitos da região eleitos pelos seus pares. É parte da governança política global do ICLEI – Governos Locais pela Sustentabilidade como o órgão de representação regional.

Mudanças Climáticas – Recife foi a primeira cidade do Nordeste a ter um inventário de emissão de gases do efeito estufa, referente ao ano de 2012. Desde então, foram produzidos os inventários de 2012 a 2015 e a atualização está em processo de produção. Para o cálculo dessas emissões são levados em consideração o consumo de energia e de combustíveis e a produção de resíduos sólidos na cidade. A análise histórica dos inventários já mostra os reflexos do cumprimento da política climática e da adoção de práticas sustentáveis na cidade. Neles, pode-se perceber a estagnação das emissões ao longo dos anos, em contraste com as previsões presentes no Plano de Baixo Carbono, que estabelecem um aumento anual e gradual das emissões da cidade.

A capital pernambucana também faz parte do projeto internacional Urban Leds: Promovendo Estratégias de Desenvolvimento Urbano de Baixo Carbono em Países Emergentes, realizado pela ONU-HAbitat, por meio do ICLEI. A iniciativa fez com que o Recife passasse a estar entre as cidades que mais tem avançado nas políticas de enfrentamento à mudança climática, com a realização de Inventários de Gases do Efeito Estufa (GEE), Plano de Redução de Emissões (Plano de Baixo Carbono), entre outras ações.  A cidade foi, ainda, reconhecida como uma das cidades que adotam práticas para redução dos gases do efeito estufa durante o evento Conexão CDP - Carbon Disclosure Project, em São Paulo. O secretário de Meio Ambiente e Sustentabilidade, José Neves Filho, recebeu a certificação que enquadra a capital pernambucana na categoria B e o papel que a cidade desenvolve frente à mudança do clima.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.


Últimas