Delator do triplex que incriminou Lula mudou versão diversas vezes, diz Folha Empreiteiro da OAS era tratado com desconfiança pela Operação Lava-Jato

Publicado em: 30/06/2019 11:17 Atualizado em: 30/06/2019 12:07

O empreiteiro Léo Pinheiro, da OAS, que incriminou Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no caso da Lava-Jato que o levou à prisão, mudou diversas vezes a versão a respeito do apartamento tríplex de Guarujá que a empresa disse ter reformado para o ex-presidente. 


O empreiteiro vinha sendo tratado com desconfiança pela Operação Lava-Jato até mudar as versões. 

 

As informações foram publicadas neste domingo (30)  pela Folha de S. Paulo, com base em mensagens privadas trocadas entre procuradores que participaram das negociações. As mensagens foram enviadas por uma fonte anônima ao The Intercept Brasil e analisadas pelo jornal e pelo site. 

 

Segundo a reportagem da Folha, “Léo Pinheiro só apresentou a versão que incriminou Lula em abril de 2017, mais de um ano depois do início das negociações com a Lava-Jato, quando foi interrogado pelo então juiz Sergio Moro no processo do tríplex e disse que a reforma do apartamento era parte dos acertos que fizera com o PT para garantir contratos da OAS com a Petrobras.”






Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.


Últimas