Sepultamento Corpo da adolescente morta em Maria Farinha é sepultado na tarde desta quarta

Publicado em: 26/06/2019 12:34 Atualizado em: 27/06/2019 15:04

 Foto: Bruna Costa / DP FOTO ( Foto: Bruna Costa / DP FOTO)
Foto: Bruna Costa / DP FOTO

Por Andresa Silva

O corpo de Raíssa Sotero Rezende, 14 anos, que foi brutalmente assassinada na praia de Maria Farinha, em Paulista, Região Metropolitana do Recife, na manhã da terça-feira (25), foi sepultado no Cemitério de Santo Amaro, no Centro do Recife, nesta quarta-feira (26). A mãe da adolescente, Gerlane Sotero estava inconsolável e amparada pelo marido e familiares. Inconformada com a morte violenta da filha, ela pede justiça.

O cenário era de muita tristeza. Amigos estudantes da escola João Alfredo, onde a jovem estudava, estiveram presentes e relataram como era a menina no dia-a-dia. Um das amigas contou que "Raissa era muito carinhosa, gostava de fazer amizade com todos, brincalhona, sempre com sorriso no rosto, nunca queria inimizade com ninguém", revelou uma adolescente de 12 anos, amiga de classe de Raissa.

Segundo uma vizinha da jovem, Raissa vinha sofrendo ameaças pela suspeita que até então era ex-namorada da vítima."Ela (Raissa) sempre me contava tudo o que acontecia. Revelou inclusive que tinha acabado o relacionamento e que estava sendo perseguida pela ex", contou a vizinha, que também revelou o medo da vítima em ir a escola por temer represálias. Os pais não permitiam que ela fosse a escola sozinha, mas, ontem ela resolveu ir sem avisar.

O Pai de Raissa, esteve presente a todo momento, "Não desabei ainda. Ainda tô inteiro aqui, mas estou destruído por dentro. Estou tentando me manter inteiro para dar continuidade a toda investigação, quando eu chegar em casa vou sentir toda essa dor", afirma, no velório da filha. Ele conta que tem uma quarta pessoa envolvida no crime e que ao final do sepultamento comparecerá a delagacia para prestar depoimento. A quarta pessoa foi localizada através de amigos do pai da vitima e através de um vídeo da prisão das suspeitas.

Raissa foi aplaudida no momento do sepultado onde todos clamavam por justiça. Seu Namorado muito abalado repetia incansavelmente, "Não era pra ter acabado assim, nossos sonhos, tantos planos. Raissa, volta pra mim".

Parentes que estavam no local, conta que a adolescente não falava muito sobre a vida pessoal, mas eles acreditam que essa mudança da casa do pai para casa da mãe tenha acontecido porque ela estaria sofrendo ameaças de sua ex-companheira. A adolescente tinha medo de se aproximar da ex-namorada após o término e início do seu relacionamento com um jovem de 23 anos que estava a um mês.

Segundo o delegado Álvaro Muniz, o procedimento de investigação foi instaurado e o caso segue em aberto."Estamos a procura de populares que presenciaram o fato. Vamos ouvir os parentes da vitima e das agressoras para entender a relação entre elas", afirmou.

As adolescentes foram recolhidas para Fundação Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase), e não contribuiram para mais informações. O pai da vítima prestará depoimento nesta quinta-feira (27). 



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.


Últimas