Pernambuco.com
Pernambuco.com
Notícia de Tecnologia

Ciência, Tecnologia e Inovação

Pernambuco encerra 5ª Conferência Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação CT&I

O encontro esta sendo realizado nos dias 2 e 3 de maio, na Faculdade Pernambucana de Saúde (FPS), no Recife

Publicado em: 02/05/2024 17:53

Participaram também a governadora de Pernambuco Raquel Lyra (PSDB), a ministra da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), Luciana Santos (PCdoB) e a secretária de Ciência, Tecnologia e Inovação de Pernambuco, Mauricélia Vidal Montenegro (Foto: Priscilla Melo)
Participaram também a governadora de Pernambuco Raquel Lyra (PSDB), a ministra da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), Luciana Santos (PCdoB) e a secretária de Ciência, Tecnologia e Inovação de Pernambuco, Mauricélia Vidal Montenegro (Foto: Priscilla Melo)
O Recife participa do encerramento regional da 5ª Conferência de Ciência, Tecnologia e Inovação. O encontro é realizado nos dias 2 e 3 de maio e conta com a presença de representantes de todos os estados do Nordeste.

Participaram também a governadora de Pernambuco Raquel Lyra (PSDB), a ministra da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), Luciana Santos (PCdoB) e a secretária de Ciência, Tecnologia e Inovação de Pernambuco, Mauricélia Vidal Montenegro.

O maior encontro do setor de CT&I, está sendo realizado na Faculdade Pernambucana de Saúde (FPS), no Recife, e as atividades serão transmitidas ao vivo pelo canal do MCTI e da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação de Pernambuco no Youtube.

O evento é gratuito e reúne a sociedade civil, empresários e agentes públicos para discutir e elencar as políticas públicas que deverão ser prioridades para a região Nordeste para os próximos 10 anos. 

A governadora de Raquel Lyra falou sobre a importância do encontro e parabenizou a iniciativa.

“A gente vem fazendo os movimentos de conferências estaduais. Pernambuco foi o primeiro a fazer essas conferências estaduais, que se encerram aqui hoje na região, através da Conferência Regional, demandas que vão desde a necessidade de infraestrutura até um plano de mudança econômica e ecológica que posicione os nossos estados para a nova economia que vem aí. A gente tem uma grande oportunidade no mundo, o mundo enxerga no Nordeste e no Brasil um celeiro de oportunidade para a energia renovável, para a nova industrialização, mas tudo isso precisa que a gente consiga enxergar a necessidade de infraestrutura, qualificação profissional e o posicionamento correto para nos apresentarmos ao mundo e conseguir captar essas oportunidades que eles nos apresentam”, disse a governadora.

As propostas de CT&I de todos os nove estados do Nordeste (Bahia, Pernambuco, Ceará, Rio Grande do Norte, Maranhão, Piauí, Paraíba, Alagoas e Sergipe) estão sendo debatidas no encontro regional e encaminhadas para a etapa nacional. 

A 5ª Conferência Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação acontecerá de 4 a 6 de junho, no Espaço Brasil 21, em Brasília (DF).

A Ministra da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), Luciana Santos (PCdoB), conversou com a imprensa e também falou sobre a importância que o tema requer.

“Pernambuco foi o primeiro estado a fazer a Conferência Estadual de Ciência e Tecnologia. Recebi das mãos da governadora e da secretária Mauricélia, um conjunto de investimentos e de pedidos para poder fortalecer o sistema pernambucano de ciência e tecnologia. É um sistema muito pujante, muito resolutivo, temos parques que falam para o mundo, como é o caso do Porto Digital. Então, não tenho dúvida, no ano passado, nós conseguimos trazer só para Pernambuco 68 milhões de investimentos da FINEP, para as universidades. Para a recuperação e expansão da infraestrutura da ciência e tecnologia em Pernambuco. E agora, nessa conferência regional, nós temos aqui a Secretária de Ciência e Tecnologia do Ceará, o presidente do Conselho de Ciência e Tecnologia Nacional, que é o secretário de Alagoas. Ou seja, essa conferência vai também naquela perspectiva de que os recursos da ciência e tecnologia vão ter enfrentamento da simetria regional. Essa é a principal expectativa que essa região tem, é a desigualdade regional. Nós temos um sistema nacional de recursos muito concentrados no Sudeste, em particular em São Paulo, e o que eu venho aqui reafirmar perante essa conferência é que os recursos do FINEP vão ter para cada um real que o Estado colocar, nós vamos colocar três reais, um para três, para incentivar o enfrentamento à desigualdade regional. Para poder garantir os investimentos, a possibilidade de a gente fazer com que essa produção científica da inteligência nordestina, sair do papel e se traduzir em produtos e serviços para solucionar o dia a dia do povo da região nordestina” relatou a ministra.

As reuniões preparatórias para a 5ª Conferência de Ciência, Tecnologia e Inovação já somam mais de 220 encontros em todo Brasil, sendo 14 municipais, 26 estaduais, além do Distrito Federal, 29 encontros temáticas (conferência e seminários) e 157 livres e duas regionais (Sudeste, Norte, Sul e Centro-Oeste).

Para a secretária de Ciência, Tecnologia e Inovação de Pernambuco, Mauricélia Montenegro, o evento é uma oportunidade de identificar as assimetrias entre os estados nordestinos e de construção de políticas públicas que permitam o desenvolvimento científico e o estímulo à inovação da região Nordeste.

“As Conferências Regionais são ambientes onde a diversidade de perspectivas e experiências florescem e se torna possível a elaboração de iniciativas que impulsionem o desenvolvimento social do nosso país. Ao unir todo o ecossistema de ciência, tecnologia e inovação, o MCTI terá condições para estabelecer políticas de governo que serão cruciais para o desenvolvimento do setor na região”, pontuou.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Conheca o Desbravador das relacoes diplomaticas entre o Brasil e a China
Consulado da RPCh no Recife tem nova cônsul-geral
Mergulho no Brasil é uma possibilidade para os turistas chineses
Cenas da China aparecem em meio ao barroco brasileiro e intrigam pesquisadores
Grupo Diario de Pernambuco