Pernambuco.com
Pernambuco.com
Notícia de Tecnologia

DESCARTE ELETRÔNICO

Semana Mundial do Meio Ambiente: Cinco dicas para quem quer descartar ou reaproveitar as antigas antenas parabólicas

Publicado em: 08/06/2023 09:40

 (Foto: Reprodução/Freepik )
Foto: Reprodução/Freepik
A operação de substituição das antenas parabólicas para a liberação da tecnologia 5G no Brasil já está presente em 1.610 cidades brasileiras. O trabalho é conduzido pela Siga Antenado de forma gratuita para beneficiários de programas sociais do Governo Federal e que possuem uma parabólica tradicional instalada e funcionando. Porém, quem tem direito à troca precisa estar atento à forma mais adequada de descarte da antena antiga.

Bem maiores que os novos modelos, as parabólicas tradicionais – aquelas com formato de guarda-chuva invertido – são feitas de aço e alumínio, materiais que podem levar até 200 anos para se decompor. Elas não podem ser descartadas de forma indevida, como em terrenos baldios ou canais de água, poluindo o meio ambiente. Dependendo da legislação municipal, a atitude pode configurar infração ao Código de Posturas do município, sujeita à aplicação de multas.

Mas, então, o que fazer com essas antenas, que podem chegar a medir mais de dois metros de diâmetro? Confira abaixo cinco dicas sobre como descartá-las ou reaproveitá-las:

Ø Pontos de coleta: Muitas prefeituras contam com serviço de descarte de itens de grande volume, como móveis, eletrodomésticos e entulhos em geral.

No Recife, por exemplo, tem oito ecopontos espalhados pela capital pernambucana, das 8h às 16h, nos quais a população também pode depositar as antigas antenas parabólicas.  

Saiba os pontos de coleta:

· Ecoestação Arruda: Av. Prof. José dos Anjos, S/N – Arruda

· Ecoestação Campo Grande: Av. Agamenon Magalhães com a Rua Odorico Mendes - Campo Grande

· Ecoestação Imbiribeira: Av. Mascarenhas de Morais, aolado do Viaduto Tancredo Neves - Imbiribeira.

· Ecoestação Torre: Rua Ciclovia República da Argélia com a Rua Cristiano - Torre.

· Ecoestação Ibura: Rua Rio Tapado com a BR 101- Ibura

· Ecoestação Cohab: Av. Rio Largo com Avenida Santos – Cohab

· Ecoestação Torrões: Rua Maestro Jones Jhonsson - Torrões.

· Ecoestação Totó: Rua Onze de Agosto com a Rua Nelson de Sena – Tot

Ø Disque-entulho: Outra opção, geralmente disponibilizada por empresas de coleta de lixo dos municípios, é o chamado disque-entulho, que vai até a casa do morador, mediante agendamento, para fazer a coleta do item a ser descartado. No Recife, é possível entrar em contato com a Central 156 de Atendimento da Emlurb ou entrar em contato com a secretaria de Meio Ambiente da capital pernambucana, através (81) 3355-5810 ou meioambiente.imprensa@recife.pe.gov.br .

Ø Ferros-velhos ou associações de reciclagem: Os ferros-velhos são pontos comerciais que compram sucatas, em geral feitas de metais. Há também associações ou cooperativas de catadores que compram materiais recicláveis diversos. A aquisição pelo local geralmente é feita por peso. Se exigir um peso mínimo para a compra que fique abaixo do peso da antena, avalie a possibilidade de se juntar a vizinhos, amigos e familiares que também tenham feito a troca da antena para uma venda coletiva.

Ø Venda por aplicativos de itens usados: Se a sua cidade não contar com nenhum dos locais citados anteriormente, outra opção é buscar por aplicativos ou sites de venda de usados, como OLX e Enjoei. Profissionais autônomos que trabalham com reciclagem presentes nesses canais podem se interessar pelo seu equipamento antigo.

Ø Reciclagem “faça você mesmo”: Nas redes sociais, não faltam perfis ou canais que trazem ideias de reciclagem para os mais diversos tipos de entulho. Que tal aproveitar esse universo de ideias para reutilizar a sua antena? Ela pode ser reformada e convertida em objetos úteis tanto para a área externa quanto interna da sua casa!

ATUAÇÃO

No final de março, a Siga Antenado iniciou o agendamento e a instalação dos kits gratuitos com a nova parabólica digital em mais 664 cidades. Esse processo consiste na transferência do sinal da parabólica da banda C para a banda Ku, em função do início da operação de liberação do sinal 5G no Brasil.

Como a nova tecnologia funcionará na frequência que atualmente é ocupada pela parabólica convencional, quem não substituir o equipamento antigo terá interferência na transmissão televisiva. Por isso, é muito importante que os beneficiários de programas sociais que tenham parabólica entrem em contato com a entidade, para pedir a substituição. 

Para verificar se a sua cidade está com a operação ativa e se você tem direito à troca gratuita da parabólica, basta acessar o site sigaantenado.com.br ou ligar para 0800 729 2404.

SIGA ANTENADO

A Siga Antenado é uma instituição não governamental criada por determinação da Anatel. Sem fins lucrativos, a entidade é a responsável por apoiar a população de menor renda durante a migração do sinal de TV utilizado pelas parabólicas tradicionais (Banda C) para o sinal das parabólicas digitais (Banda Ku). A Siga Antenado é formada pelas operadoras Claro, TIM e Vivo, que foram as vencedoras dos blocos nacionais do leilão do 5G, com as licenças da faixa 3,5 GHz.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Embaixador Eduardo Saboia: Brasil e China obtêm safras de parceria em várias áreas
Conheca o Desbravador das relacoes diplomaticas entre o Brasil e a China
Consulado da RPCh no Recife tem nova cônsul-geral
Mergulho no Brasil é uma possibilidade para os turistas chineses
Grupo Diario de Pernambuco