Pernambuco.com
Pernambuco.com
Notícia de Divirta-se

LIVRO

Lançamento de obra literária infantojuvenil comemora Dia da Restinga

Publicado em: 28/04/2023 08:40

 (Foto: Coral Vivo/Divulgação)
Foto: Coral Vivo/Divulgação
Para marcar o Dia da Restinga, comemorado nesta sexta-feira (28), a equipe de sustentabilidade da empresa Gás Natural Açu (GNA) e a organização não governamental (ONG) Instituto Coral Vivo (ICV) lançam a obra literária infantojuvenil A Casa de Todos os Ninhos. O objetivo é a conscientização ambiental da sociedade brasileira e o estímulo à preservação desse ecossistema que compõe o bioma da Mata Atlântica e abriga espécies raras e ameaçadas de extinção.

O livro começa com o poema:

“Existe uma casa encantada

Que abriga todos os ninhos,

É feita de sol e vento,

Calor, areia e tempo.

Suas árvores se vestem

De espinhos, de ervas

Com raízes gigantes

(maiores que elefantes),

E flores e cactos

Que enfrentam

As tempestades, ondas

E redemoinhos”

Escrito pelas autoras premiadas Bia Hetzel e Roseana Murray, o livro traduz em poemas a riqueza das restingas nacionais, com ilustrações de Mariana Massarani. Pesquisas feitas em diversas restingas, com destaque para a maior Reserva Particular do Patrimônio Natural de restinga do país, a RPPN Caruara, localizada em São João da Barra, no norte fluminense, embasaram as informações da publicação. A consultoria foi das doutoras em biologia Débora Pires, fundadora do Instituto Coral Vivo (ICV) e uma das maiores biólogas marinhas do país; e Luana Mauad, da equipe da GNA, especialista em botânica de restingas.

A Casa de Todos os Ninhos apresenta, de forma lúdica, a biodiversidade das restingas para as crianças e jovens de todo o país. O livro ficará disponível para download gratuito durante dois anos, no site do ICV e da GNA. Bia Hetzel disse que graças às parcerias estabelecidas pelo ICV com a Secretaria Municipal de Educação do Rio de Janeiro e a prefeitura de Saquarema, que também tem área importante de restinga, serão distribuídos exemplares do livro em escolas públicas desses dois municípios, além da rede de ensino de São João da Barra, dando início ao projeto Restinga em Prosa. O público-alvo é formado por leitores jovens em processo de consolidação de alfabetização. “Porque a gente quer criar uma prosa com a sociedade", explicou a escritora.

Oeiras
Bia Hetzel revelou que além dos três municípios fluminenses contemplados, a cidade de Oeiras, no sertão do Piauí, considerada modelo no campo da educação e leitura, também receberá exemplares do livro gratuitamente. Ela acredita que à medida que mais municípios queiram aderir ao projeto, haverá possibilidade de o livro ganhar reimpressão. Destacou que a grande vantagem de se viver hoje uma era digital, aliado ao fato de o PDF estar livre para download e os acessos serem tão rápidos, mostra que as necessidades que chegarem também serão supridas por esse meio virtual. “Quanto mais a sociedade mostrar que está funcionando, maior a chance de sucesso”.

O resultado do trabalho da equipe da GNA era voltado até então para a realização de um relatório interno e não ia para publicação científica, nem chegava à sociedade com a intensidade necessária para a conservação da restinga. “Eles viram que o ICV fazia livros diferenciados para crianças e jovens, levando o conteúdo científico para a sociedade”, disse Bia. Rapidamente, a parceria foi instituída. “A GNA estava muito preocupada em fazer chegar essas informações e essa conscientização para o município de São João da Barra, onde atua”.

Bia espera que o projeto possa ser expandido. Para ela, toda empresa tem que fazer ações para mitigar seus impactos, “mas é importante que busquem ONGs como o ICV para levar conhecimento à população”.

Restinga
A bióloga Débora Pires, fundadora do Instituto Coral Vivo, chamou a atenção para a importância da restinga. “As restingas são ambientes que pertencem ao bioma Mata Atlântica e ficam entre a terra e o mar. Elas ocupam uma faixa muito cobiçada pelo homem, pela exploração imobiliária, com muitas ocupações nas orlas”, afirmou.

Segundo a especialista, a restinga talvez seja um dos grandes ambientes marinhos mais prejudicados com a expansão das cidades, que têm transformado matas em áreas urbanas. Por causa da ocupação desordenada, várias espécies da fauna e da flora estão em extinção. “Por isso, é importante que se recupere, porque ainda existem alguns fragmentos de restinga”.

Débora Pires explicou que a restinga tem vegetação rasteira, que forma redes que seguram e sedimentam toda a faixa de areia. E isso protege a costa de erosão. “No Brasil, a gente vê vários exemplos de erosão costeira, o mar invadindo casas, espaços e erodindo a costa, porque o homem retirou a restinga”. Lembrou que isso é muito comum em praias urbanas, como na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio, onde vários pedaços estão degradados porque as restingas que fazem a proteção natural foram retiradas.

Espécies
Quando preservada, a restinga é um ambiente que abriga muitas espécies, como aves migratórias e tartarugas marinhas que vão desovar protegidos das ondas pela vegetação. O ambiente tem uma série de fatores importantes, além de vegetações comestíveis que servem de alimento para outros animais. “Ela ajuda nesse equilíbrio da Mata Atlântica”,

Na RPPN Caruara, considerada a maior unidade de conservação privada de restinga do país, com cerca de 4 mil hectares, são encontradas espécies da fauna e flora ameaçadas em diferentes níveis, entre elas o lagarto-de-cauda-verde, a preguiça-de-coleira-do-sudeste, o ratinho-goytacá, entre outras.

De acordo com o ICV, mesmo em locais de solo arenoso, castigados pelos ventos, pelas ressacas, pela maresia e pelo calor, a restinga floresce e verdeja o litoral. Nas praias e perto delas, são encontradas plantas rasteiras, como a salsa-da-praia. Avançando mais para a terra firme, há cactos, bromélias e plantas baixinhas. Depois, vêm os arbustos, como as pitangueiras, até as matas com árvores maiores, como a clúsia e o breu-branco.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Para Luciana Santos, reindustrialização brasileira necessita do apoio da China
Wellington Dias: Brasil coopera com a China para criar aliança global contra fome e pobreza no G20
Embaixador Eduardo Saboia: Brasil e China obtêm safras de parceria em várias áreas
Conheca o Desbravador das relacoes diplomaticas entre o Brasil e a China
Grupo Diario de Pernambuco