Pernambuco.com
Pernambuco.com
Notícia de Divirta-se

LUTO

Morre a cantora e atriz Cindy Mendes, de 'Antônia', aos 38 anos

Publicado em: 10/01/2023 11:38

A atriz Cindy Mendes, que ficou conhecida por seu papel no filme e série “Antônia” (2006), faleceu no domingo (8/1), aos 38 anos, em São Paulo. A artista não resistiu às complicações de uma pneumonia.

A informação foi confirmada nas redes sociais pelas ex-colegas de elenco Leilah Moreno (“Pico da Neblina”), Negra Li (“As Minas do Rap”) e Quelynah. Elas protagonizaram ao lado de Cindy no longa. As amigas prestaram homenagens na internet.

No Instagram, Leilah lamentou a morte da ex-colega. “Hoje Cindy descansou e o coração está apertado em dar esta notícia! Obrigada por ter feito parte de um projeto tão importante que representou meninas do Brasil todo”, começou.

 
“Talvez um dia todos ouçam sua arte e conheçam seu valor! Todo meu amor e força a família. Meus sentimentos a todos os fãs e amigos! Seguimos aqui com amor e saudades”, concluiu Leilah, ao destacar que a amiga não recebeu o devido reconhecimento em vida.

Já a cantora Quelynah declarou que não tem palavras para se despedir da atriz. “Não sei o que dizer, mas sei o que sinto!”, desabafou.


“Você foi uma grande artista e trago o melhor de você comigo, uma pessoa alto astral, inteligente e apesar de mais nova, sempre tinha algo pra compartilhar e ensinar. Meus sentimentos a todos os amigos e familiares, que Deus console o coração de cada um de vocês. A sua partida prematura nos pegou de surpresa e entristeceu a todos. Que você descanse em paz, Cindy”, declarou a cantora Negra LI.


Carreira
 
Cindy Mendes começou a trajetória como modelo e atriz no teatro Macunaíma, aos 7 anos de idade. Ela era formada em teatro e atuou em inúmeras montagens musicais, como “O Mágico de Oz”, “All That Jazz”, “Black Cat”, entre outros.

A atriz ganhou destaque com o filme “Antônia”, da Globo, que mostrava a jornada de quatro mulheres que tentavam se tornar cantoras. Elas retratavam moradoras da Vila Brasilândia, localizada na periferia da Zona Norte paulistana.

“Há muita coisa parecida na vida da personagem Lena e na minha vida. Além de também começar na igreja, eu já trabalhei nos semáforos antes de cantar profissionalmente. Uma das maiores dificuldades era conciliar o trabalho com os ensaios”, disse Cindy à Folha de São Paulo, na época do lançamento.

Cindy lançou seu primeiro álbum solo “Cindy – Grite Alto” em 2006, a convite da gravadora Universal Music. Na época, o disco foi considerado um dos melhores álbuns de hip-hop brasileiro pela crítica.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Van Gogh Live 8K: exposição chega ao Recife e encanta público
Manhã na Clube: entrevista com Rodrigo Coutinho, secretário de esportes do Recife
Manhã na Clube: entrevista com Priscila Lapa, cientista política
Manhã na Clube: entrevista com Everaldo Silva e  Ney Araújo
Grupo Diario de Pernambuco