Notícias, Pernambuco, Vídeos, Fotos, Shows, Teatro, Cinema, Cultura, Tecnologia, Turismo, Pernambuco.cão, Gastronomia

Cuidados especiais

FILHOTES

A boa escolha do filhote é fundamental para que o cachorro se adapte bem ao ambiente familiar. Antes de tudo, é necessário escolher a raça do animal. A regra é simples: o cachorro deve combinar com a moradia e o estilo de vida da família. Cachorros de raças grandes não são indicadas para quem mora em apartamentos, assim como cachorros que exigem mais cuidados – como os de pêlo longo – não devem ser escolhidos por pessoas que têm uma rotina agitada.

Na hora da compra, é preciso estar atento ao comportamento do animal. “Ele deve estar bem disposto e alerta. O futuro dono deve olhar as mucosas, para ver se estão coradas, e colocar o cachorro para andar, para ver se ele tem algum problema de orientação”, recomenda a veterinária Vanessa Carla Lima.

Outra característica importante é saber a procedência do animal. O melhor é que os pais do filhotes sejam saudáveis e com as vacinas em dia. É importante também que o filhote tenha mamado nos primeiros dias de vida, já que o leite colostral é rico em nutrientes que ajudam a imunizar os filhotes contra doenças.

Idade
A idade ideal para adquirir o filhote é entre os 45 e 60 dias de vida, quando ele já deve ter sido vermifugado. A infestação por vermes é uma das principais causas de mortalidade entre os filhotes. Por isso, a vermifugação é indispensável para a saúde do filhote e também da família, uma vez os vermes também podem causar doenças nos seres humanos.

Tabela de vermifugação
• 1ª dose – 15 dias de vida – os filhotes devem ser vermifugados com remédios em suspensão, que são melhores absorvidos pelos animais pequenos;
• 2ª dose – entre 30 e 36 dias de vida – a repetição do remédio previne evita novas infestações;

A vermifugação deve ser feita anualmente. Os sintomas da verminose são diarréias, pêlo opaco, pequenas lesões na pele, perda de peso, entre outros.

Vacinas

Depois da vermifugação, as vacinas são o próximo passo na saúde dos animais. A primeira dose deve ser dada depois dos 45 dias de vida. Não deve ser aplicada antes uma vez que os animais já têm anticorpos –adquiridos com o leite materno – e a resposta às vacinas pode não ser a esperada. Confira aqui dicas e tabela de vacinação

GESTANTES

O primeiro cio das cadelas ocorre entre o sexto mês e o primeiro ano de vida. Depois, ele se repete aproximadamente a cada seis meses. A gestação dura cerca de dois meses (de 58 a 62 dias) e a cada ninhada podem nascer de um a doze filhotes, dependendo da raça do cachorro. Geralmente, na primeira gestação, a quantidade de filhotes é menor. A mãe alimenta o filhote até os 40 dias de vida, em média.

Durante a gestação, a cadela vai precisar de cuidados especiais, principalmente na alimentação. O recomendado é que ela tenha uma dieta rica em energia. Para isso, o dono pode passar a oferecer ração de filhotes, que tem um teor maior de proteínas. A alimentação especial deve ser seguida durante a lactação, que dura cerca de quarenta dias.

TERCEIRA IDADE


Foto: Arquivo/DP/D.A Press
Aos 19 anos de vida, o poodle Rocky é um exemplo extremo do aumento da longevidade canina. Com ao avanço da medicina veterinária e os cuidados redobrados dos donos, os animais conseguiram ultrapassar a barreira dos 15 anos, considerada, antes, a data limite da vida canina.

A vida mais longa, porém, acarreta diversos problemas de saúde. Rocky sofre de problemas cardíacos, ósseos, respiratórios e renais. Enxerga pouco e o faro já não funciona. É atendido por veterinários que tratam de problemas específicos – um para os dentes, outro para o coração – e vai à clínica pelo menos uma vez por mês.

Mesmo com os problemas de saúde, Rocky é um cachorro feliz que não dispensa uma boa brincadeira com os donos. A receita para se chegar a uma idade avançada é a combinação de alimentação balanceada, exercícios físicos e vacinação em dia, além de visitar o veterinário pelo menos uma vez por ano.

Os cachorros de raças pequenas geralmente vivem mais do que os de raças grandes. Isso porque o metabolismo dos pequenos tem um ritmo diferente. Depois dos oito anos, porém, os dois tipos necessitam de cuidados especiais, como rações específicas para cachorros na terceira idade. “O cachorro muda de comportamento, fica mais tranqüilo e não tem mais a mesma disponibilidade. O dono tem que entender o novo ritmo do animal e dar mais atenção a ele”, ensina a veterinária Vanessa Lins.

As doenças mais comuns na terceira idade são câncer, cardiopatias, fragilidade óssea, catarata, diabetes, problemas renais e respiratórios.

TABELA DE IDADES

Cão | Humanos
1 ano = 15 anos
2 anos = 24 anos
3 anos = 28 anos
5 anos = 36 anos
6 anos = 40 anos
7 anos = 44 anos
8 anos = 48 anos
9 anos = 52 anos
10 anos = 56 anos
12 anos = 64 anos
14 anos = 72 anos
16 anos = 81 anos
18 anos = 91 anos
20 anos = 101 anos

Obs: A equivalência de idade varia de acordo com a raça. No primeiro ano de vida o desenvolvimento é mais acelerado. A partir daí, a equivalência mantém uma média de um ano canino igual a sete anos humanos.


Adicionar aos Favoritos Curta nossa página no Facebook Acompanhe-nos no Twitter Veja nossa página no Google Mais RSS
Pets perdidos Pet shops



  • SERVIÇOS
Cinema
Signos
Promoções
Trânsito
Vrum
Lugar Certo
Admite-se
Indicadores Econômicos
Área H
Clube FM
RSS
Gastrô

SIGA

Facebook

Google+

Twitter

Rss