Pernambuco.com
Pernambuco.com
Notícia de Tecnologia

REDES SOCIAIS

Nova ferramenta do Instagram permite que usuários evitem conteúdo 'sensível'

Por: AFP

Publicado em: 20/07/2021 18:25

 (As pessoas podem manter o limite padrão de postagens sensíveis ou optar por aumentar ou afrouxar essa restrição. Foto: LIONEL BONAVENTURE / AFP
)
As pessoas podem manter o limite padrão de postagens sensíveis ou optar por aumentar ou afrouxar essa restrição. Foto: LIONEL BONAVENTURE / AFP
O Instagram adicionou na terça-feira (20) uma maneira para os usuários ajustarem o quão estritamente eles desejam filtrar postagens violentas ou sexualmente sugestivas enquanto navegam na rede social.

Uma nova opção de "Controle de conteúdo sensível" no Instagram, propriedade do Facebook, permite que os usuários ajustem se querem ver mais ou menos postagens que alguns podem achar desagradáveis ou de mau gosto, de acordo com uma publicação.

"Conteúdo sensível pode estar em postagens que não necessariamente violam nossas regras, mas podem ser pertubadoras para algumas pessoas, como postagens com conotação sexual ou violência", explicou a equipe do Instagram.

A nova ferramenta se junta a outra de exploração que recomenda conteúdos que os usuários possam achar interessantes na rede social.

As pessoas podem manter o limite padrão de postagens sensíveis ou optar por aumentar ou afrouxar essa restrição. “Uma exceção: a opção Permitir não estará disponível para menores de 18 anos”, observou o Instagram.

A forma opcional de filtragem chega em um momento em que a rede social ainda está sob pressão para impedir postagens abusivas ou enganosas, permitindo que os usuários se expressem livremente nelas.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
As mães em plena pandemia: casal paulista adota cinco irmãos de Serra Talhada
Bolsonaro aumenta IOF para custear novo Bolsa Família
Surto de Covid-19 obriga Presidente da Rússia a ficar em isolamento
Manhã na Clube: entrevistas com o deputado Eduardo da Fonte (PP), Elias Paim e Diego Martins
Grupo Diario de Pernambuco