Pernambuco.com
Pernambuco.com
Notícia de Tecnologia

controle

Facebook anuncia medidas para controlar melhor propaganda política

O CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, disse que a mudança significará a "contratação de milhares de pessoas"

Por: AFP

Por: Mabson Rodrigues

Publicado em: 06/04/2018 19:36 | Atualizado em: 06/04/2018 23:17

Foto: Arquivo/AFP Photo

O Facebook anunciou nesta sexta-feira (6) que vai querer saber quem financia qualquer propaganda política veiculada em sua plataforma e verificará a identidade do pagador, em uma tentativa de frear as influências estrangeiras nas eleições.

A rede social, na mira por não se esforçar o bastante para evitar a manipulação em sua plataforma nas eleições de 2016 nos Estados Unidos, garantiu que a nova política exigirá a qualquer mensagem relacionada a candidatos ou públicos, incluir a marcação "Propaganda política", com o nome da pessoa ou entidade que financiou.

O CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, disse que a mudança significará a "contratação de milhares de pessoas" e será executada neste ano, antes das eleições legislativas nos Estados Unidos em novembro.

"Esses passos por si só não impedirão os que tentam burlar o sistema", admitiu Zuckerberg em sua página do Facebook, "mas tornarão muito mais difícil para qualquer um fazer o que os russos fizeram nas eleições de 2016 e usem contas e páginas falsas para publicar anúncios".

Em um comunicado paralelo, o Facebook disse que as mudanças ajudariam a melhorar a transparência e a prestação de contas na rede.

"Achamos que quando você visita uma página ou vê um anúncio no Facebook, deveria ficar claro de quem vem", afirmou o grupo no comunicado, que acrescentou: "Também achamos que é importante para as pessoas poderem ver os outros anúncios que estão sendo publicados, inclusive se são ou não dirigidos a eles".

Para serem autorizados pelo Facebook, "os anunciantes precisarão confirmar sua identidade e localização", afirma o texto, e eles não poderão publicar "anúncios políticos até estarem autorizados".

O Facebook fez o anúncio enquanto Zuckerberg se prepara para comparecer no Congresso na próxima semana para responder às perguntas sobre o uso dos dados de 87 milhões de usuários por parte de uma consultoria britânica que trabalhava para a campanha presidencial de Donald Trump.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Estados Unidos podem ser novo epicentro do vírus
Coronavírus em Pernambuco - resumo de 24/03/2020
Moda: aproveite o tempo em casa para desenvolver seu estilo pessoal
Chefe da ONU pede cessar-fogo imediato e global diante do avanço do coronavírus
Grupo Diario de Pernambuco