Pernambuco.com
Pernambuco.com
Notícia de Gastronomia

concurso

Comida di Buteco reúne 25 participantes do Recife, Olinda e Jaboatão

Publicado em: 06/04/2019 11:13 | Atualizado em: 06/04/2019 11:48

Petiscos foram criados com exclusividade para o concurso. Foto: Costa Neto/Divulgação

Escolher o petisco que harmoniza melhor com a cervejinha gelada é a missão de um verdadeiro “butequeiro”. De 12 de abril a 5 de maio, o Concurso Comida di Buteco é realizado em 25 estabelecimentos do Recife, Olinda e Jaboatão dos Guararapes. Os participantes criaram receitas exclusivas para agradar o freguês, mas é o público quem decide o vencedor da cidade, que vai concorrer ao título de Melhor Boteco do Brasil. Para a votação, são analisados critérios como petisco, atendimento, higiene e temperatura da bebida. O concurso comemora 20 anos da sua primeira edição, organizada em 2000, em Belo Horizonte, Minas Gerais. Ele hoje está sendo realizado simultaneamente em 21 cidades brasileiras. A grande novidade é que todos os petiscos do país terão preço fixo de R$ 20. 

Uma das principais missões do concurso é valorizar a cultura de buteco e a cozinha de raiz, dando destaque para os pequenos comércios, que têm o dono à frente do negócio. Depois de vencer a edição 2018, o analista de TI Rafael Costa, do Esquina do Malte, em Areias, largou o emprego para se dedicar  ao empreendimento. "Tudo parecia que ia dar errado e nas vésperas pensei em desistir. Mas foi a melhor coisa que fiz e ainda vencemos", comemora. Para este ano, ele criou um prato que mistura elementos da cozinha mineira com ingredientes pernambucanos e toque de sofisticação. O Fondue di Buteco é um caldo de vaca atolada à mineira com especiarias nordestinas. O caldo da panelinha serve para molhar os itens como costelinha desfiada, linguiça matuta na massa de pastel com cream cheese, torresmos, dadinhos de tapioca, queijo coalho empanado, ovos de codorna e azeitonas. 

Um dos bares estreantes, o Andrew's Bar, que fica no bairro de Salgadinho, em Olinda, preparou a Costelinha Mandacaru, salada Capibaribe e macaxeira na chapa, regados a molho levemente apimentado. “A costela foi marinada no vinho e especiarias por 24 horas. Depois vai para a panela de pressão e, por último, finaliza na churrasqueira”, conta o dono André Tavares. Outro concorrente é o Beca Bar, em Santo Amaro. A casa ficou famosa pelo arrumadinho e participa pela primeira vez do concurso com a receita de farofa matuta de charque torrada com vinagrete. A proprietária é dona Lurdes Andrade, considerada “rainha do arrumadinho” em reportagem do Aqui PE. Uma curiosidade é que o nome do estabelecimento não tem nada a ver com ela. “Todo mundo chega me chamando de Dona Beca e minha filha de bequinha. Mas o verdadeiro Beca é meu marido”, revela. Beca é o apelido de infância do marido, Carlos Andrade.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Primeira Pessoa com Sam Nóbrega
O esforço de Guilherme e a rede de solidariedade que surgiu
Sobre Vidas: Natanael Ramos e Gil Sormany
Salão de Tóquio: Mitsubishi 2020
Grupo Diario de Pernambuco