Pernambuco.com
Pernambuco.com
Notícia de Divirta-se

LUTO

Marília Mendonça era ícone do sertanejo feminino e teve ascensão meteórica

Publicado em: 05/11/2021 18:19 | Atualizado em: 05/11/2021 18:44

 

 

Marília Mendonça se tornou um dos expoentes do sertanejo nacional e chegou a ganhar um Grammy. A cantora morreu em uma acidente de avião, nesta sexta-feira (5/11) (Reprodução/instagram)
Marília Mendonça se tornou um dos expoentes do sertanejo nacional e chegou a ganhar um Grammy. A cantora morreu em uma acidente de avião, nesta sexta-feira (5/11) (Reprodução/instagram)

Marília Mendonça é um dos principais nomes da música brasileira na atualidade. Ela acumula fãs em todo Brasil e tem alguns dos números mais expressivos nos streamings nacionais. No próprio canal do YouTube, são 22 milhões de inscritos, conta com mais de uma música que ultrapassou a marca de 500 milhões de visualizações e atualmente figura no ranking das músicas populares da plataforma com a canção Para de me chamar pra trair, em parceria com a dupla Maiara e Maraísa. No Spotify também tem sucesso expressivo, com média mais 8 milhões de ouvintes mensais e músicas que passam da casa de 90 milhões de plays. A cantora morreu nesta sexta-feira (5/11), em um acidente de avião, quando voava para uma série de shows no interior de Minas Gerais. 

 

Aos 26 anos, a cantora sertaneja teve uma ascensão meteórica. Com 20 anos, em 2016, já havia gravado e lançado o primeiro DVD da carreira, no qual cantou ao vivo em Goiânia. Já no primeiro lançamento, apresentou ao público o primeiro grande hit da carreira, Infiel. A música elevou o status dela e a colocou como um dos expoentes de um movimento posteriormente apelidado de feminejo. Outros nomes marcantes do estilo são Naiara Azevedo, e as duplas Simone e Simaria e Maiara e Maraísa. Marília se juntou com Maiara e Maraísa para o grupo Patroas, que já lançou dois álbuns.

 

O sucesso da sertaneja, contudo, é fruto de muitos anos de trabalho. Marília Mendonça começou a compor ainda muito jovem. Segundo o site da cantora, ela já começava a escrever as primeiras letras aos 12 anos. Antes mesmo de estourar com Infiel, tinha sucessos como É com ela que eu estou na voz de Cristiano Araújo e Até você voltar e Cuida bem dela, músicas famosas cantadas por Henrique Juliano. Marília também ganhou um Grammy Latino em 2019, quando estava grávida de seis meses, com o álbum Todos os cantos, Volume 1 (Ao vivo). Ela concorre ao prêmio deste ano com o álbum Patroas, junto com Maiara e Maraísa.

 

Na vida pessoal, namorou o cantor goiano Murilo Huff. Eles assumiram o relacionamento em 2019 e anunciaram o término no meio de 2020. Reataram e terminaram mais uma vez em 2021. Os dois tiveram um filho juntos, Léo, que tem dois anos de idade. 

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Bruno Becker, da chapa Náutico Sustentável, divulga projetos para o Timbu
Unicap continua com as inscrições abertas para Vestibular 2022
Manhã na Clube: entrevista com o deputado estadual Romero Sales Filho (PTB)
Variante ômicron representa risco elevado para o planeta
Grupo Diario de Pernambuco