Pernambuco.com
Pernambuco.com
Notícia de Divirta-se

LENDA DO JAZZ

Tony Bennett se aposenta da música em nova parceria com Lady Gaga

Publicado em: 05/10/2021 09:35

Diagnosticado com Alzheimer desde 2016, Bennett recebeu recomendações médicas para encerrar a aclamada carreira (Foto: Youtube/Reprodução)
Diagnosticado com Alzheimer desde 2016, Bennett recebeu recomendações médicas para encerrar a aclamada carreira (Foto: Youtube/Reprodução)
Aos 95 anos recém-completados, a lenda do jazz Tony Bennett realizou o último ato de sua gloriosa carreira musical na última sexta-feira (1), quando foi lançado o álbum Love for sale, gravado em parceria com a cantora Lady Gaga , de 35 anos. O disco sucede ao elogiado Cheek to cheek, lançado pela dupla em 2014 e com o qual eles venceram um Grammy na categoria de melhor álbum de pop tradicional.
 
A justificativa para a saída de cena do cantor é médica. Bennett sofre mal de Alzheimer e já mostra dificuldades para se lembrar de coisas triviais, apesar de não esquecer das músicas que está acostumado a cantar.
 
A revelação foi feita por sua esposa, Susan Benedetto, de 55, em uma entrevista exclusiva publicada pela revista da Associação Americana dos Aposentados (AARP) em fevereiro deste ano. Ela conta que o marido foi diagnosticado oficialmente com a doença em 2016. Desde então, ele tem sofrido com a perda de memória e dificuldade em reconhecer alguns objetos, mas ainda reconhece amigos e familiares.
 
Casada desde 2007 com ele, Susan conta, na entrevista, que começou a suspeitar que algo estava errado com a saúde do marido ainda em 2015, após ele apresentar dificuldade em lembrar do nome de alguns de seus músicos no palco. Bennett iniciou, então, um tratamento contra a doença, que inclui medicação, dieta e exercícios para o corpo.
 
O médico do cantor informou, no mesmo artigo, que "outras áreas de seu cérebro ainda são resilientes e estão funcionando bem". "Ele está fazendo tantas coisas que muitas pessoas da idade dele mesmo sem demência não conseguem fazer. Ele realmente é um símbolo de esperança para pessoas com transtorno cognitivo."
 
Em agosto passado, ele fez dois shows com ingressos esgotados ao lado de Lady Gaga, em Nova York, além de gravar  um especial para a TV com as músicas do novo disco. Ainda não se sabe quando o material gravado será lançado, mas sem dúvida será com toda a pompa já que, uma semana depois, foi anunciado que as duas apresentações foram sua despedida dos palcos.
 
Segundo Danny Bennett, filho e empresário do cantor, a aposentadoria foi uma orientação médica. "A saúde dele é o mais importante e, quando a esposa de Tony, Susan, ouviu os médicos, disse: ‘Absolutamente não’", disse Danny em entrevista à Variety. "Ele fará outras coisas, mas não os shows. Não é o aspecto do canto, mas sim a viagem. Ele fica cansado. Não queremos que ele caia no palco, por exemplo, coisas simples assim. Mas não estamos preocupados com ele ser capaz de cantar. Estamos preocupados, do ponto de vista físico, com a natureza humana. Tony tem 95.”
 
 
 
Emoção de sobra
No dia do lançamento de Love for sale, Gaga parecia encantada com o antes improvável parceiro. No Instagram, ela agradeceu ao artista e aos fãs. "Me sinto muito orgulhosa, Tony. Te amo muito. Obrigada a todos que estão nos apoiando e ouvindo jazz", disse ela em um vídeo publicado na rede social.
 
A primeira vez que eles trabalharam juntos foi no álbum Duets II (2011), de Bennett, para o qual gravaram a música The lady is a tramp. Esse disco foi responsável por jogar uma nova luz sobre o legado de Tony Bennett, que passou a ser conhecido por uma nova geração ao se associar com nomes da época como Amy Winehouse (1983-2011), John Mayer, Sheryl Crow e Norah Jones.
 
Três anos depois, após o turbulento lançamento de seu quarto álbum de estúdio, Artpop (2013), que recebeu uma enxurrada de críticas negativas, Lady Gaga se associou a Bennett novamente para o álbum Cheek to cheek, o que na época soou como uma estratégia para descansar sua imagem sem que a cantora ficasse totalmente fora dos holofotes. O plano funcionou e Gaga não só conquistou um parceiro de peso como também saiu reconhecida por seu talento como vocalista ao regravar clássicos como I can't give you anything but love e Anything goes.
 
Bastidores
Agora, ela retribui a ajuda de Bennett o acompanhando nessa despedida, o que está simbolizado na capa do disco, na qual Gaga aparece ajeitando a gravata do parceiro musical enquanto ele exibe um retrato que fez dela nos bastidores da gravação. São trocas como essas que tornam a relação dos dois especial e é o que está registrado nos clipes gravados para o disco, que mostram Tony Bennett e Lady Gaga em estúdio.
 
Com 12 faixas, Love for sale é composto por covers de músicas escritas pelo músico e compositor norte-americano Cole Porter (1891-1964). O disco inclui oito duetos, dois solos de Tony Bennett e dois solos de Gaga. A lista de faixas conta com clássicos como I've got you under my skin, I get a kick out of you, It's de-lovely e Night and day. Não é exagero dizer que os dois brilham mesmo na faixa-título. No registro, Bennett comprova que continua um exímio cantor. E Gaga reitera mais uma vez o talento como intérprete, mesmo quando longe da imagem excêntrica pela qual ficou famosa.
 
Apesar de ter saído um dia depois do prazo final para se tornar elegível para o Grammy 2022, a Recording Academy esclareceu que o disco poderá sim ser indicado na próxima edição do prêmio. "O álbum foi lançado em algumas configurações – incluindo cassetes – na quinta-feira (30 de setembro), o que permitiu a qualificação", afirmou a instituição em nota enviada à revista Billboard. Com isso, tudo indica que a despedida de Tony Bennett será em tom de celebração.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Destaque do Náutico, meia Jean Carlos completa 100 jogos com a camisa alvirrubra
Baixas na equipe de Guedes
Trump anuncia planos para lançar nova rede social
Manhã na Clube: entrevistas com Teresa Leitão (PT), Fernandes Arteiro e José Teles
Grupo Diario de Pernambuco