Pernambuco.com
Pernambuco.com
Notícia de Divirta-se

LUTO

Morre José Luiz Mota Menezes, grande pesquisador da história e do urbanismo de Pernambuco

Publicado em: 06/09/2021 13:49 | Atualizado em: 08/09/2021 10:04

 (Foto: Divulgação)
Foto: Divulgação

Pernambuco perdeu, nesta segunda-feira (6), uma das figuras mais apaixonadas pela sua história. O arquiteto, urbanista, pesquisador e escritor José Luiz Mota Menezes faleceu aos 85 anos, vítima de insuficiência real - esse quadro se desenvolveu por conta de um câncer no intestino que avançou para o sistema linfático. O estudioso estava internado no Hospital Real Português, no Recife, há cerca de dois meses. O velório será realizado ainda nesta segunda na Academia Pernambucana de Letras, na Zona Norte, a partir das 14h. Já o velório será no Parque das Flores, Zona Oeste, às 16h. Ambas solenidades serão restritas a familiares e amigos das diversas instituições que ele integrou.

José Luiz Mota Menezes era professor emérito da pós-graduação em Arqueologia e Conservação do Patrimônio da UFPE e sócio mais antigo do Instituto Arqueológico Histórico e Geográfico Pernambucano, tendo sido presidente dessa instituição duas vezes (2000- 2004 e 2014-2017). Era membro da Academia Pernambucana de Letras desde 2013 e também integrante do Conselho de Cultura de Pernambuco. Publicou diversos livros no Brasil e no exterior, com destaque para o Atlas Histórico e Cartográfico do Recife (Editora Massangana, 1985), do qual foi coordenador. Também participou da restauração de construções históricas como a Catedral da Sé, em Olinda, e o Palácio da Justiça, no Recife.

O estudioso nasceu em 1936, no município do Pilar, no estado de Alagoas. Mudou-se para o Recife em 1945, aos 9 anos, e viveu uma época de fortes transformações urbanísticas e sociais da capital. Conhecido também pela boemia, ele mantinha em sua casa uma biblioteca com quase 12 mil livros na biblioteca, agregando títulos de de arte, arquitetura, história, patrimônio, cartografia, literatura, religião, dicionários e outros gêneros.

O interesse pela preservação do legado arquitetônico de Pernambuco o levou a trabalhar no Serviço do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, atual Iphan. Ele assinou vários projetos de restauração. Para além das construções já citadas, é possível destacar as seguintes: Igreja de Nossa Senhora da Graça, antigo Palácio do Bispo (Sítio Histórico de Olinda), Casa da Cultura, antiga Estação do Brum, antiga Sinagoga da Rua do Bom Jesus, sede da Associação Comercial de Pernambuco e Palacete dos Amorins, na Avenida Rui Barbosa. Foi, ainda, consultor técnico e um dos responsáveis pela concessão do título de Patrimônio Cultural da Humanidade a Olinda, pela Unesco, em 1982.

"José Luiz Mota Menezes foi uma figura de extrema importância para a história e a arquitetura de Pernambuco. Apesar da formação como arquiteto, ele tinha desenvoltura em várias áreas do saber. Ele fazia muito bem essas conexões entre as áreas e gostava de contar a história do Recife e de Olinda, principalmente", diz George Cabral, segundo secretário do IAHGP. Mota Menezes também será lembrado por ter defendido um modelo de cidade em que as pessoas pudessem viver com tranquilidade, pelas críticas à falta de mobilidade urbana e planejamento para o transporte coletivo, à construção de espigões em ruas estreitas, entre outros problemas.

Último lançamento e possíveis novidades póstumas
Em 26 de agosto, foi realizado o lançamento do livro O Recife da Revolução Republicana 1817, de autoria do arquiteto e pesquisador, com evento virtual dentro da 14ª Semana do Patrimônio Cultural de Pernambuco, realizada pela Secult-PE/Fundarpe. Com projeto elaborado pelo Bureau de Cultura, produção executiva da turismóloga Clarisse Fraga e do produtor cultural Edmar Fernandes, a obra aprofunda e amplia a abordagem do tema destacando as intervenções urbanísticas e arquitetônicas ocorridas no Recife naquele período histórico.

Criterioso e sempre muito articulado e cuidadoso com os fatos que marcaram a história do Recife, José Luiz, tendo ciência da gravidade da sua doença, organizou e salvou muitos dos seus trabalhos ainda inéditos num HD externo e antes mesmo da internação fez questão de entregar o material nas mãos da produtora, Clarisse Fraga, que também é sua sobrinha e dirige a empresa Bureau de Cultura, responsável pela produção executiva e difusão da obra do professor.

"Ele me deu a missão de manter a obra dele viva e continuar o seu legado. É minha obrigação cuidar bem desse acervo tão rico e dar visibilidade à obra dele", comenta Fraga. Ela diz ainda que o arquiteto, numa das visitas no período em que esteve internado, orientou ao historiador George Cabral, do qual era amigo pessoal, a se candidatar à APL para dar continuidade ao seu legado. Menezes deixa duas filhas e três netos.

Confiras as notas de pesar:

Instituto Arqueológico Histórico e Geográfico Pernambucano
"É com profundo pesar que o IAHGP informa o falecimento do seu ex-presidente e sócio benemérito, o Prof. José Luiz Mota Menezes (1936-2021). Arquiteto de formação, estudou na antiga escola de Belas Artes e realizou inúmeros trabalhos em prol do Patrimônio Cultural do Brasil. Sempre na fronteira entre a História e o Urbanismo escreveu inúmeras obras de referência para entender o Recife e Pernambuco. Deixamos aqui os sinceros pêsames aos familiares e amigos".

Academia Pernambucana de Letras
"A Academia Pernambucana de Letras expressa seu profundo pesar pelo falecimento do Acadêmico José Luiz Mota Menezes, que ocupava a Cadeira de número 7 desta Casa.
A Academia Pernambucana de Letras se solidariza com a família enlutada."

Conselho de Arquitetura e Urbanismo de Pernambuco
"O CAU/PE agradece toda a sua dedicação ao longo de uma respeitada trajetória profissional, sempre vislumbrando soluções para a preservação do patrimônio cultural pernambucano, defendendo a integração da memória urbana do Recife ao cotidiano de todos e todas. [...] Em nome de todos os profissionais do Estado, o CAU/PE expressa profundo pesar nesse momento de inigualável tristeza, e se solidaria com a família e amigos, destacando que o trabalho do professor José Luiz da Mota Menezes ficará na memória e servirá de inspiração para todos que buscam uma cidade em harmonia."

Secretaria de Cultura de Pernambuco
"A história do Recife teve na pessoa de José Luiz Mota Menezes um grande observador e entendedor. Sua contribuição nas discussões sobre a cidade e a evolução da sociedade foram sempre acertivas. Sua passagem pelo Conselho Estadual de Preservação do Patrimônio Cultural trouxe um olhar muito atento ao que já vivemos e o que iremos viver no futuro breve. É um dia muito difícil para quem milita pela cultura", disse Gilberto Freyre Neto, secretário Estadual de Cultura.

Fundarpe - Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco
"Recife perde um dos maiores pensadores e conhecedores de sua história. Um grande urbanista, com uma visão moderna e atual da vida numa grande cidade. Acompanhou como poucos da sua geração as mudanças que vivemos, contribuindo muito com a construção de uma política pública para o setor. Foi dirigente da Fundarpe em 1973 e desde lá aprofundou o debate sobre o papel do Estado na preservação os bens materiais e imateriais. Também foi mestre de inúmeros profissionais da área da arquitetura e do urbanismo. O Estado de Pernambuco será sempre muito grato pelo trabalho do professor. Vai deixar enorme saudade", declarou Marcelo Canuto, presidente da Fundarpe.

Companhia Editora de Pernambuco
"Presidente por duas vezes do  Instituto Arqueológico, Histórico e Geográfico Pernambucano, deixou como legado uma obra de valor inestimável. Pela Cepe Editora lançou os livros Mobilidade Urbana no Recife e seus arredores; Ruas sobre as águas: as pontes do Recife, além de Recriação do paraíso: judeus e cristãos-novos em Olinda e no Recife nos séculos 16 e 17, todos publicados em 2015".

Museu da Cidade do Recife
"Toda a equipe do Museu da Cidade do Recife lamenta o falecimento do nosso grande parceiro e colaborador, José Luiz da Mota Menezes. Escritor, arquiteto, professor e pesquisador, José Luiz da Mota Menezes deixa um grande legado para recifenses. Seus livros são fonte de conhecimento para os que desejam saber com detalhes a história do Recife, desde os seus primórdios, no século XVI, passando pelas transformações urbanas do século XX até dos dias atuais. Ex-presidente e sócio benemérito do Instituto Arqueológico, Histórico e Geográfico Pernambucano (IAHGP), também era membro da Academia Pernambucana de Letras. José Luiz da Mota Menezes nos ajudava a entender a nossa cidade. Nossos sinceros pêsames a todos aos familiares e amigos".

Fundação Joaquim Nabuco:
"A Fundação Joaquim Nabuco lamenta o falecimento de José Luiz Mota Menezes, divulgado em nota nesta manhã pelo Instituto Arqueológico Histórico e Geográfico Pernambucano, instituição do qual era sócio benemérito. José Luiz Mota Menezes foi um grande arquiteto, urbanista, professor da UFPE e escritor. Era um dos maiores conhecedores da evolução urbana do Recife. [...] A Fundaj se solidariza com os familiares e amigos".

Secretaria de Cultura do Recife e Fundação de Cultura Cidade do Recife 
“Profundo conhecedor das paisagens, histórias e belezas recifenses, ele nos oferece, em dezenas de publicações, muitas razões a mais para cultuarmos, com tanta paixão, a nossa cidade. Perdemos um olhar único, capaz de vislumbrar transformações nas texturas, silhuetas e traçados da cidade. Ganhamos, com ele, uma obra que será sempre presente, como leitura da nossa história”, declarou o secretário de cultura do Recife, Ricardo Mello.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Após erupção do vulcão Cumbre Vieja, especialistas temem gases tóxicos
Manhã na Clube: Lucas Ramos (Sec. de Ciência e Inovação de Pernambuco) e dr. Catarina Ventura
Na ONU, Bolsonaro diz ser contra passaporte sanitário
Manhã na Clube: Augusto Coutinho, Laurice Siqueira, Frederico Preuss Duarte e Kaio Maniçoba
Grupo Diario de Pernambuco