Pernambuco.com
Pernambuco.com
Notícia de Divirta-se

MEMÓRIA

Centenário do economista Celso Furtado é tema de live na Fundaj

Publicado em: 26/07/2021 14:33

 (Foto: Arquivo Nacional)
Foto: Arquivo Nacional

A COLETIVA, revista eletrônica de difusão científica e cultural do ProfSocio/Fundaj, promoverá uma live com a jornalista e tradutora Rosa Freire D’Aguiar, viúva e curadora da obra de Celso Furtado, nesta próxima terça-feira (27), às 18h. O tema será a obra do economista e a sua atualidade a partir de dois livros organizados pela convidada nos últimos dois anos com documentos inéditos: Diários Intermitentes (2019) e Correspondência Intelectual (2021), ambos pela Companhia das Letras. 

A live terá a participação especial do economista Alexandre Barbosa, professor Livre-Docente de História Econômica e Economia Brasileira/Internacional do Instituto de Estudos Brasileiros (IEB), da Universidade de São Paulo (USP). Alexandre Barbosa também é coordenador do Núcleo Temático “Repensando o Desenvolvimento”, do LabIEB-USP, e um dos mais importantes estudiosos da obra de Celso Furtado. O bate-papo será mediado pelo cientista político e pesquisador Túlio Velho Barreto (Fundaj).   

Em entrevista ao Museu de Astronomia e Ciências Afins, Rosa Freire D’Aguiar chamou a atenção para a vasta obra de Celso Furtado e sua atualidade: “Ele deixou mais de 30 livros escritos. Eu diria que desses, talvez a metade mantenha uma impressionante atualidade. Celso não escrevia, digamos, muito voltado para a atualidade, mas num nível um pouco mais teórico, mais abrangente. Ele navegou por várias outras disciplinas das Ciências Sociais. Escreveu muito sobre a Cultura e sobre a História, a primeira paixão da vida dele. Ele tinha uma cabeça muito interdisciplinar e escrevia sobre vários problemas, sempre vistos de vários ângulos. Era um pouco a marca da reflexão dele”, conclui a jornalista e tradutora.

Para Túlio Velho Barreto, "decidimos realizar a live nesse momento para marcar o encerramento das comemorações do centenário de Celso Furtado, que nasceu em 26 de julho de 1920. De certa forma, o lançamento dos seus Diários, em 2019, e, mais recentemente, de suas Correspondências, ambos os livros organizados pela Rosa Freire D’Aguiar, marcaram, respectivamente, a abertura e o encerramento do centenário de um dos mais importantes e brilhantes intelectuais e dirigentes políticos do país". Para ele, "a Fundaj, até por estar sediada no Nordeste, região em que Celso nasceu e para qual dedicou parte de suas ações como intelectual, gestor e político, não poderia deixar de participar dessa efeméride."

Celso Furtado nasceu em 1920, em Pombal, Paraíba, e faleceu no Rio de Janeiro, em 2004. Foi economista da Comissão Econômica para a América Latina (Cepal), criou e dirigiu a Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene). Foi ministro do Planejamento do governo João Goulart e, ao voltar do exílio, ministro da Cultura do governo José Sarney. Escreveu cerca de 30 livros sobre teoria, política e história econômicas, entre eles o clássico Formação econômica do Brasil. Sua obra vem sendo editada pela Companhia das Letras, que também publicou Criatividade e dependência, A economia latino-americana, Obra autobiográfica, além da coletânea Essencial Celso Furtado. 

SERVIÇO
Live do Centenário de Celso Furtado na Revista Coletiva, bate-papo com a jornalista e tradutora Rosa Freire D'Aguiar 
Participação especial: Alexandre Barbosa, IEB-USP 
Mediação: Túlio Velho Barreto, ProfSocio/Fundaj 
Quando: 27 de Julho (terça-feira), a partir das 18h (Hora de Brasília)
Onde: Canal do MultiHlab | Youtube
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
As mães em plena pandemia: casal paulista adota cinco irmãos de Serra Talhada
Bolsonaro aumenta IOF para custear novo Bolsa Família
Surto de Covid-19 obriga Presidente da Rússia a ficar em isolamento
Manhã na Clube: entrevistas com o deputado Eduardo da Fonte (PP), Elias Paim e Diego Martins
Grupo Diario de Pernambuco