Pernambuco.com
Pernambuco.com
Notícia de Divirta-se

JUSTIÇA

Val Marchiori vence processo após Ludmilla a denunciar por racismo

Publicado em: 26/03/2021 21:53

 (Foto: Reprodução/Instagram)
Foto: Reprodução/Instagram
Val Marchiori venceu o processo após entrar com recurso no Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJRJ) contra condenação de danos morais após ofensas a cantora Ludmilla. Em 2016, durante carnaval em que a cantora desfilava pela escola de samba Salgueiro, Val, que estava trabalhando como comentarista pela Rede TV!, comparou o cabelo de Ludmilla com bombril.

A socialite havia sido condenada a pagamento de indenização de R$ 30 mil, mas segundo o tribunal, Val estava apenas exercendo o direito de liberdade de expressão. No Instagram, ela compartilhou alguns prints de reportagens comemorando a situação: "Justiça seja feita". Ainda há possibilidade de recurso das partes.

A cantora se posicionou no Twitter, contando sobre a dificuldade das denúncias, além de falar sobre racismo: "Vocês percebem agora que não é fácil como parece? Essa não é a primeira, segunda ou terceira denuncia que eu faço. Eu também não sou a primeira a passar por isso e infelizmente não sou a única. Eu não me faço de vítima não. Eu sou! Tá provado".

Ludmilla criticou ainda a Justiça e confirmou que não irá abrir mão de tentar mudar o resultado da decisão: "Mas a estrutura desse país é tão racista, que eles têm a audácia de recorrer e ainda por cima comemorar vitória no Instagram".

"Mas quer saber? Eu não vou parar. E não é só por mim não! Uma hora as coisas vão ter que mudar. E no que eu puder usar a minha visibilidade pra ajudar nessa mudança, eu juro pra vocês que eu vou! Racismo não é liberdade de expressão", finalizou a cantora.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Em Cúpula do Clima, Bolsonaro promete neutralidade de carbono até 2050
Manhã na Clube com Rhaldney Santos - 22/04
Após polêmicas, Superliga Europeia é suspensa
Família Floyd volta a respirar: policial é condenado pela morte de homem negro
Grupo Diario de Pernambuco