Pernambuco.com
Pernambuco.com
Notícia de Divirta-se

FILME

Astro de Lucifer bloqueia comentários do Twitter após polêmica com fãs

Publicado em: 14/09/2020 18:37

 (Foto: Divulgação)
Foto: Divulgação
O ator Tom Ellis, astro de Lucifer, bloqueou os comentários dos seguidores no Twitter. A polêmica envolvendo o nome do ator começou após a esposa dele, Meaghan Oppenheimer, se posicionar a respeito do filme Cuties (Lindinhas, no título em português), produzido pela Netflix, que foi bastante criticado por sexualizar as danças feitas por crianças de 11 anos.

“Sim, eu acho as danças perturbadoras, também acho perturbadoras no TikTok ou Dance Moms. O que quero dizer é que as pessoas estão acusando o filme de celebrar intencionalmente algo que está tentando condenar. Eu amo o filme? Definitivamente não. Eu acho que o diretor deveria ser banido? Também não”, disse a roteirista no Twitter no último domingo (13).

Depois da declaração, os usuários da rede social começaram a fazer comentários dos quais o ator não gostou e decidiu bloqueá-los.

Entenda a polêmica de Cuties
Na última quinta-feira, milhares de pessoas fizeram uma campanha de boicote à Netflix após o lançamento de Cuties. O serviço foi acusado de sexualizar as protagonistas. Mais de 200 mil tuítes usaram a hashtag #CancelNetflix (cancele a Netflix), levando à campanha à lista de assuntos mais comentados do mundo no Twitter.

Premiado no Festival Sundance de Cinema, o longa-metragem conta a história de Amy, uma parisiense de 11 anos que precisa transitar entre as regras rígidas da família senegalesa e a pressão estética que reina nas redes sociais, à qual jovens idade dela são particularmente sensíveis.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Resumo da semana: acidente em Boa Viagem, aulas liberadas e reinauguração do Geraldão
Enem para todos com professor Fernandinho Beltrão #101 Actina e Miosina
Rhaldney Santos entrevista advogada Rafaella Simonetti do Valle
Enem para todos com professor Fernandinho Beltrão
Grupo Diario de Pernambuco