Pernambuco.com
Pernambuco.com
Notícia de Divirta-se

Música

Duo pernambucano Babi Jaques e Lasserre lança clipe de parceria com Sophia Freire

Publicado em: 03/08/2020 18:45 | Atualizado em: 03/08/2020 18:52

Cão Guia teve direção e roteiro de Babu e Lassere, junto com Rachel Daniel (Foto: Frame do clipe)
Cão Guia teve direção e roteiro de Babu e Lassere, junto com Rachel Daniel (Foto: Frame do clipe)

O duo pernambucano Babi Jaques e Lasserre lançou, na última semana, o clipe do single Cão guia, uma parceria com a conterrânea Sophia Freire. O vídeo ainda conta com a poetisa Luna Vitrolira e a performance de Karla Martins, Alessandra Santos e Tati Lobão, que trazem metáforas sobre o controle da mulher na sociedade. Com influências que passeiam entre Massive Attack e Céu, o single é um bolero alicerçado por beats, com influencias do brega recifense e da música latina.

Traduzindo a atmosfera misteriosa e melancólica da música, o clipe transporta o casal para um ambiente noturno e urbano. A direção e o roteiro foram de Babu e Lassere junto com Rachel Daniel. A produção teve parceria do veículo de notícias Mídia Ninja

Com composição tem letra de Babi Jaques e música de Lasserre, a faixa é uma discussão sobre manipulação e o controle, com entrelinhas sobre os relacionamentos abusivos, o machismo e o egoísmo. Babi e Sofia entoam versos que questionam a sociedade, bordados por vocais ritualescos, que soam como feitiços em prol da liberdade.

A produção musical ficou entre Lasserre e Samico, que também aparece como músico convidado, junto com Alexandre Baros (chimbal) e Zildemar Félix (trompete). O duo preparou o clipe durante uma residência artística na Nave Coletiva, na sede da Mídia Ninja em São Paulo. A cidade foi o cenário para o vídeo, que ainda conta com Aishá Lourenço e Stela Tó.

Juntos desde 2009, Babi Jaques e Lasserre se apresentou em mais de 80 cidades brasileiras, além de performances em outros países da América Latina e na Europa. Nômades, trabalham com música e artes visuais e viajam com uma carrocinha que vira um mini palco e estúdio móvel. Já conquistaram 18 prêmios e suas apresentações se constituem como rituais sonoros visuais, marcados pela convergência entre o orgânico e o eletrônico.

Também iluminadores, em seus shows tocam a luz pelos instrumentos musicais e criam cenários lisérgicos para mensagens de autoconhecimento, sincronicidade e boas vibrações. Durante a pandemia tem chamado atenção pelos shows virtuais que se aproximam de uma experiência ritualística.

Assista ao clipe: 

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Pantanal: o pior incêndio da história
Resumo da semana: escolas seguem fechadas, incêndio no Pantanal e mais leitos de UTI pediátrica
Enem para todos com professor Fernandinho Beltrão #Aulão: tudo sobre botânica
Rhaldney Santos entrevista a oftalmologista Larissa Ventura
Grupo Diario de Pernambuco