Pernambuco.com
Pernambuco.com
Notícia de Divirta-se

CINEMA

Primeiro filme sobre cultura nordestina fora do Brasil é destaque no São João da Globo

Publicado em: 11/06/2020 18:40

A narrativa de Estradar é costurada pela história do mestre alagoano Gennaro (ex-Trio Nordestino) e o cantor Fabianno Santana (Foto: Fred Alves/Divulgação)
A narrativa de Estradar é costurada pela história do mestre alagoano Gennaro (ex-Trio Nordestino) e o cantor Fabianno Santana (Foto: Fred Alves/Divulgação)
Estradar, primeiro longa-metragem sobre cultura nordestina filmado e lançado fora do Brasil, do cineasta pernambucano Fred Alves, estará na programação de São João da Globo, neste sábado (13), a partir do meio-dia, no programa Causos e Cantos. O filme, gravado nas cidades de Lisboa e Porto, em Portugal, e Berlim e Aachen, na Alemanha, foi lançado no ano passado e está disponível no Youtube em uma versão adaptada para internet. “Queremos mostrar para o brasileiro que existe um cenário muito forte fora do país. E fazer com que os jovens voltem a ter orgulho de suas raízes. O resgate é importante para o nosso amadurecimento e nossa relação com o Nordeste e o Brasil”, explica o diretor.

Inspirado pela inusitada imagem de europeus dançando os dois passos tradicionais do forró em suntuosas casas de show ou paisagens turísticas, acompanhados do clássico trio de sanfona, zabumba e triângulo, o cineasta, recém-chegado ao Velho Continente, decidiu fazer imediatamente registros do que acreditava ser um fenômeno. “Logo que vi me encantei e imaginei que tinha potencial. A princípio, quis fazer um registro daquele movimento que me impactou, e depois eu decidi aprofundar e investir em um filme”, conta Fred. O pernambucano radicado na Holanda chegou a Berlim, capital da Alemanha, em 2016, e conheceu o Psiu! Forró Festival, responsável pela difusão da cultura nordestina no país, encabeçado pelo também pernambucano Carlos Frevo.

Com uma métrica melancólica, trilhas sonoras exclusivas e clássicos reproduzidos, a narrativa é costurada pela história do mestre alagoano Gennaro (ex-Trio Nordestino), que mantém viva a tradição do Rei do Baião. Foi a partir de Flávio José que Fred chegou a ele, que também coleciona parcerias com Jackson do Pandeiro e Dominguinhos e é referência no forró, responsável por dezenas de sucessos que entraram para a história do gênero. Aliada à trajetória está também o jovem Fabiano Santana, nascido no Espírito Santo e apaixonado pelo ritmo nordestino, que construiu uma carreira majoritariamente fora do país.

O título Estradar remete à música de Anchieta Dali, interpretada por Flávio José, que versa sobre a abertura de estradas. Permeada por apresentações e falas individuais, o longa registra uma importante conversa em um cenário inusitado: no meio de uma barbearia em Lisboa. No papo com Fabiano, Gennaro faz uma observação que sintetiza o crescimento do ritmo além dos chãos áridos e territórios fronteiriços. “Luiz Gonzaga 'cavou' um poço tão fundo na terra, onde a água brotou e que até os dias de hoje muitos artistas bebem desta água”.

O filme foi realizado com o intuito de renovar o olhar sobre a tradição e as raízes nordestinas. “Vejo que o grande problema do forró é que ele se prendeu muito ao passado e não avança como o showbiz (indústria de entretenimento), não tem um investimento de marketing. Tenho medo de ver o movimento do forró desintegrar”, afirma. Segundo Fred Alves, nas casas noturnas e espaços que recebem os shows na Europa, 95% do público é formado por estrangeiros. Além de Portugal e Alemanha, Rússia e França são grandes consumidores, somando-se ainda Holanda, Itália e Inglaterra.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Músico vence limitações do distanciamento social oferecendo shows particulares por encomenda
Destaques da semana: caso Miguel, Decotelli fora do MEC e retorno do Campeonato Pernambucano vetado
Inscrições para o Vestibular 2020.2 da Unicap vão até 15 de julho
Um mês sem Miguel : tudo que fazia era por ele, diz Mirtes
Grupo Diario de Pernambuco