Pernambuco.com
Pernambuco.com
Notícia de Divirta-se

CINEMA

Cepe faz live para discutir o futuro do cinema brasileiro pós-pandemia

Publicado em: 16/06/2020 10:16 | Atualizado em: 16/06/2020 11:07

André Dib e Camilo Cavalcante participam do debate. (Foto: Divulgação e Aline Arruda/Reprodução)
André Dib e Camilo Cavalcante participam do debate. (Foto: Divulgação e Aline Arruda/Reprodução)
A pandemia causada pelo novo coronavírus e a atual política de liberação de verbas paralisaram um dos setores que mais cresceu na cultura brasileira nos últimos dez anos: o cinema brasileiro. Dia 19 de junho é a data em que é celebrado o audiovisual nacional, a Companhia Editora de Pernambuco (Cepe) fará uma live para conversar sobre a situação do cinema nacional e o seu futuro pós-pandemia. A conversa será com o jornalista e crítico André Dib e o diretor Camilo Cavalcante, mediado pela repórter Débora Nascimento da Revista Continente. Será na sexta-feira (19), às 17h30, no canal da Cepe no Youtube (https://bit.ly/LiveCepeCinema).
 
“Estávamos em um momento crescente de alimentação da cadeia produtiva cinematográfica quando começou o desmonte da Ancine ainda no Governo Temer. Agora nem recursos de projetos que já foram contemplados estão sendo liberados”, lamenta o diretor, produtor e roteirista Camilo Cavalcante. Ele é autor do livro História da eternidade - roteiro publicado recentemente em livro pela Cepe.
 
Camilo faz um paralelo do momento atual com o governo Collor. “Desde o governo Collor, quando foi extinta a Empresa Brasileira de Filmes (Embrafilmes), não se via uma crise tão grande no cinema nacional”, recorda Camilo. Na época, segundo ele, muitos profissionais do audiovisual migraram temporariamente para as produções destinadas à publicidade como forma de sobrevivência. Mas agora a pandemia afetou a todos. “A curto prazo não vejo solução. A não ser quando os editais da Ancine começarem a ser liberados e a iniciativa privada também voltar a apoiar essa cadeia que gera tanto emprego e renda”, espera Camilo, vencedor de 27 prêmios em festivais no Brasil e no exterior pelo seu História da eternidade (2014). Filmado em 2012 em Santa Fé, Distrito de Pau Ferro, Sertão de Pernambuco, o filme conta a história de três mulheres: a adolescente Alfonsina (interpretada por Débora Ingrid) cujo maior desejo é conhecer o mar; Querência, de 40 anos (vivida por Marcélia Cartaxo), que enterra o filho e o amor, logo na primeira cena; e a idosa Das Dores (Zezita Matos) que reprime a sexualidade com devoção cristã.  
 
Neste ano, a editora também publicou outro livro dedicado à sétima arte: Antologia da crítica pernambucana - Discursos sobre cinema na imprensa (1924-1948), organizado pelo jornalista e crítico André Dib e pela realizadora Gabi Saegesser. A Antologia da Crítica Pernambucana - Discursos sobre cinema na imprensa (1924-1948) é uma pesquisa sobre a maneira como a imprensa pernambucana escrevia sobre cinema na primeira metade do século passado. O objetivo, segundo os organizadores, é tornar acessível ao leitor um panorama dos principais autores e ideias, e mergulhar no imaginário e nas formas de pensar cinema em Pernambuco na primeira metade do século XX.
 
Serviço
Live Dia do Cinema Brasileiro
Quando: 19 de junho, às 17h30
Onde: Canal da Cepe no Youtube (https://bit.ly/LiveCepeCinema)

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Músico vence limitações do distanciamento social oferecendo shows particulares por encomenda
Destaques da semana: caso Miguel, Decotelli fora do MEC e retorno do Campeonato Pernambucano vetado
Inscrições para o Vestibular 2020.2 da Unicap vão até 15 de julho
Um mês sem Miguel : tudo que fazia era por ele, diz Mirtes
Grupo Diario de Pernambuco