Pernambuco.com
Pernambuco.com
Notícia de Divirta-se

EFEITO

De Sandy a Marília Mendonça: lives fazem buscas por artistas crescer até 110% no streaming

Por: FolhaPress

Publicado em: 09/04/2020 22:34

 (Foto: Divulgação)
Foto: Divulgação
Os shows ao vivo transmitidos pela internet, que viraram uma febre entre os famosos nas últimas semanas devido a quarentena, estão fazendo com que as buscas pelos artistas cresça consideravelmente nas plataformas de streaming. No Deezer, o aumento chega a ser de 40% a 110% depois da live.

A plataforma divulgou os números de alguns artistas. Gusttavo Lima, por exemplo, que fez uma transmissão no sábado (4), teve aumento de 40% na busca por suas músicas no domingo, em comparação com o mesmo dia da semana anterior. O percentual é igual ao alcançado por Michel Teló, que fez uma live no dia 3.

Segundo o Deezer, a cantora Sandy teve um desempenho ainda melhor, com aumento de 46% na busca de suas músicas no serviço de streaming após a live da semana passada. Já a dupla Jorge e Mateus teve um crescimento de 55,69% e atingiu o maior pico de buscas do ano.

O grande destaque da plataforma, no entanto, ficou para Marília Mendonça, que fez uma live nesta quarta (8), batendo o recorde de audiência em uma live no YouTube, com mais de 3,2 milhões de acessos simultâneos, e elevando em 111% as buscas por suas músicas no Deezer, isso já no dia da live.

Apesar dos números otimistas no pós-lives, a suspensão dos shows tem sido preocupantes para a maior parte dos artistas. Wesley Safadão, por exemplo, reduziu o salário de 80 funcionários nesse período. Já a produtora de Naiara Azevedo demitiu 140 pessoas, que pretende recontratar posteriormente.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Estados Unidos podem ser novo epicentro do vírus
Coronavírus em Pernambuco - resumo de 24/03/2020
Moda: aproveite o tempo em casa para desenvolver seu estilo pessoal
Chefe da ONU pede cessar-fogo imediato e global diante do avanço do coronavírus
Grupo Diario de Pernambuco