Pernambuco.com
Pernambuco.com
Notícia de Divirta-se

'No passo do Caboclinho'

Tribo Carijós do Recife percorre oito cidades pernambucanas com projeto itinerante

Publicado em: 10/03/2020 15:20

Foto: Jefferson Belarmino/Divulgação

A tribo indígena Caboclinho Carijós está na estrada para percorrer oito cidades pernambucanas com o projeto itinerante No passo do Caboclinho. A iniciativa acontece nos mesmos moldes do projeto No passo e no compasso do Cavalo Marinho Estrela de Ouro, realizado em novembro de 2019. Ela foi idealizada pelo professor e produtor cultural Clébio Marques com a intenção de promover aulas-espetáculos aos estudantes de escolas públicas da rede estadual. A aventura cultural teve início na última segunda-feira (09) nas cidades irmãs, Recife e Olinda. 

Em cada cidade visitada, o grupo interage com os brinquedos populares locais. Na capital, por exemplo, o caboclinho encontrou com o Maracatu Nação Encanto da Alegria na Escola Estadual Caio Pereira. Já em Olinda, a interação foi com o Calunguinha, o mascote oficial do Homem da Meia-Noite na EREM Olinda. “A essência é a mesma do projeto que foi vivenciado. A diferença é o local. Com o Cavalo Marinho, às realidades eram diferentes. A filosofia do projeto é a mesma. Estamos reforçando bastante a parte teórica do caboclinho, depois entramos nas indumentárias, nas cores e na exposição daquilo que é feito na comunidade. Sobre a musicalidade, a gente vai expondo o ritmo e a importância dele para o brinquedo popular. Há uma interação muito forte”, explica Clébio. 

Foto: Jefferson Belarmino/Divulgação


Na manhã desta terça-feira, o Carijós aportou em Nazaré da Mata, na Mata-Norte do estado, onde foi recebido pelo Maracatu de Baque Solto Estrela Brilhante. Em seguida, o grupo seguiu para Condado, ainda na mesma região, para trocar saberes com o Cavalo Marinho Estrela de Ouro. À noite, o grupo fará uma apresentação especial no Instituto Padre Luís Cecchin, em Limoeiro. 

História 
A Tribo Indígena Caboclinho Carijós, que conquistou em 2019 o título de Patrimônio Vivo de Pernambuco, foi fundada no dia 05 de março de 1897. Ela é a mais antiga de Pernambuco, com 123 anos de história. A sede do grupo está localizada na comunidade da Mangabeira, na Zona Norte do Recife. Lá acontecem diversas atividades formativas, como oficinas de dança, música e produção de adereços. 

Foto: Jefferson Belarmino/Divulgação


O grupo conquistou diversos títulos no Concurso de Agremiações Carnavalescas promovido pela Prefeitura do Recife. Entre as premiações, está o bicampeonato no Grupo Especial conquistado nos anos de 2017 - quando também foi o homenageado da festa - e 2018. 
Neste projeto, os estudantes irão conhecer a história do grupo e mergulhar no universo dos movimentos, das penas, das lanças e preacas dos brincantes.

Confira a programação completa 

10/03
10h - Nazaré da Mata / Mata Norte
Escola de Aplicação Professor Chaves
Interação local: Maracatu de Baque Solto Estrela Brilhante

15h - Condado / Mata Norte
Escola Antônio Correia de Oliveira Andrade
Interação local: Cavalo Marinho Estrela de Ouro

20h - Limoeiro / Agreste Setentrional (Apresentação Especial)
Instituto Padre Luís Cecchin

11/03
10h - Agrestina / Agreste Central
EREM Prof. José Constantino
Interação local: Grupo Cultural Mazuca de Agrestina

12/03 
10h - Arcoverde / Sertão do Moxotó
Escola Industrial de Arcoverde
interação local: Agremiação Boi Arcoverde

13-03
10h - Serra Talhada / Sertão do Pajeú (Apresentação Especial)
Museu do Cangaço






Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Estados Unidos podem ser novo epicentro do vírus
Coronavírus em Pernambuco - resumo de 24/03/2020
Moda: aproveite o tempo em casa para desenvolver seu estilo pessoal
Chefe da ONU pede cessar-fogo imediato e global diante do avanço do coronavírus
Grupo Diario de Pernambuco