Pernambuco.com
Pernambuco.com
Notícia de Divirta-se

CINEMA

Cepe publica roteiro e materiais especiais do filme A História da Eternidade

Publicado em: 31/03/2020 08:30

O roteiro do filme ganha uma bela edição feita pela Companhia Editora de Pernambuco (Cepe), que inclui ainda fotos dos bastidores, críticas e um apanhado geral da película. (Foto: Divulgação)
O roteiro do filme ganha uma bela edição feita pela Companhia Editora de Pernambuco (Cepe), que inclui ainda fotos dos bastidores, críticas e um apanhado geral da película. (Foto: Divulgação)
Adentrando um sertão que transborda em poesia e sensibilidade, A história da eternidade é certamente um filme que integra os cânones da produção mais recente do cinema pernambucano. Dirigido e escrito por Camilo Cavalcante, o longa de 2014 arrebatou espectadores por todo mundo e foi premiado em diversos lugares, colecionando 27 prêmios no Brasil e no exterior. Agora, seis anos depois, o roteiro do filme ganha uma bela edição feita pela Companhia Editora de Pernambuco (Cepe), que inclui ainda fotos dos bastidores, críticas e um apanhado geral da película. A publicação do roteiro original de A história da eternidade já está disponível na loja online da Cepe (www.editora.cepe.com.br) - o lançamento presencial ainda não tem data confirmada. A obra impressa custa R$ 30; o e-book, R$ 9.

O filme rodado em Santa Fé, distrito de Pau Ferro, Sertão de Pernambuco, conta uma história de sofrimento, amor e - talvez ouse dizer - as utopias de três mulheres: Alfonsina (Débora Ingrid), Querência (Marcélia Cartaxo) e Das Dores (Zezita Matos). “O longa foi lançado em 2014, mas filmado em 2012. O roteiro, eu demorei bastante tempo nutrindo, foram quase dez anos trabalhando nele. Foi um roteiro construído a partir de uma relação íntima minha com o Sertão. E conta três histórias mitológicas de amor do Sertão”, conta Camilo Cavalcante, em entrevista ao Viver.

A publicação de roteiros feitos para o cinema não é uma novidade, sempre fez parte dos artigos relacionados à sétima arte. Mas esse tipo de publicação que escava a fundo o processo do fazer cinema não se vê muito entre a produção local. “Acho que, no Brasil, temos algumas publicações de roteiros, mas a maioria no eixo Rio-São Paulo. Não é um trabalho só para estudante, mas para quem quer se aproximar do filme. É uma edição muito especial, que traz críticas e imagens de bastidores, que permitem ao espectador estar por dentro do material básico para o processo criativo do filme”, diz o autor.

Na publicação, há o texto-base de uma das cenas mais célebres e sublimes do filme - quiçá uma das mais notáveis do cinema pernambucano - na qual Joãozinho (Irandhir Santos) dança em transe ao som de Fala, de Secos e Molhados. Um dos frames da belíssima cena ilustra a capa da publicação. Uma das fases de escrita do roteiro foi feita no Sertão quando, entre uma página e outra, Camilo saía para conhecer a região e, sobretudo, em busca de uma vivência e convivência. “Esse roteiro que a Cepe publicou foi para o set de filmagem, passou por laboratório. Muita coisa foi processada durante as filmagens. No processo de criação do filme, o roteiro é uma forma volátil. Então foi um processo de criação coletiva na qual o próprio texto se alterou a partir do que íamos vivendo.”

O realizador conta também que, a partir do mestrado em cinema da UBI, em Portugal, montou um roteiro chamado Equinócio, mas que ainda não tem previsão para ser rodado. Já A história da eternidade pode ser encontrado no serviço da Net Now e com algumas exibições no Canal Brasil.

Mais livros
A Cepe disponibiliza, ao menos até hoje, 14 e-books do acervo para download gratuito. Os títulos estão disponíveis na loja de e-books da Amazon, Apple, Kobo, Livraria Cultura e Google Play Books. A editora também oferece conteúdo gratuito da revista Continente e do Suplemento Pernambuco, no site de cada um dos produtos.Neste mês, a editora publicou um dos vencedores do Prêmio Cepe Nacional de Literatura na categoria infanto juvenil, A menina que engoliu o céu estrelado, narrativa que mistura fantástico e regional. Também em março foram lançados Opulência, romance de Luis Krausz, cuja narrativa trata da degradação da natureza e dos ideais e aborda uma forma peculiar de cegueira, e A arte queer do fracasso, do norte-americano Jack Halberstam, um trabalho fundamental para os estudos queer.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Estados Unidos podem ser novo epicentro do vírus
Coronavírus em Pernambuco - resumo de 24/03/2020
Moda: aproveite o tempo em casa para desenvolver seu estilo pessoal
Chefe da ONU pede cessar-fogo imediato e global diante do avanço do coronavírus
Grupo Diario de Pernambuco