Pernambuco.com
Pernambuco.com
Notícia de Divirta-se

ZONA NORTE

Símbolo de resistência no Arruda, rapper Okado do Canal lança novo EP

Publicado em: 25/10/2019 09:39 | Atualizado em: 25/10/2019 10:18

Ellan Barreto, popularmente conhecido como Okado do Canal (Foto: Rodrigo Garcia/Divulgação)
Ellan Barreto, popularmente conhecido como Okado do Canal (Foto: Rodrigo Garcia/Divulgação)
Um camaleão que se adapta ao inesperado. Assim, o BBboy, rapper, ator e líder comunitário da Favela do Canal, no Arruda, Okado do Canal, define o ser humano. Com 26 anos, o multiartista conclui mais um ciclo com o lançamento do terceiro EP Mudanças. O trabalho, que diz muito sobre a evolução de sua trajetória, está disponível a partir desta sexta-feira nas plataformas online YouTube e Spotify. 

Desde os 13 anos, Ellan Barreto, nome de batismo de Okado, se encanta pelo universo do Hip Hop. Começando pelas batalhas de break, ele começou a ser influenciado pelo rap de improviso freestyle. Foi o ponto de partida para o artista lançar o primeiro EP, em 2015. Quebra de Sigilo foi gravado pela Igual-NE Records e contou com o apoio do Cartel Gangsta-PE e da Brigada Hip Hop. 

Dois anos depois, o primeiro álbum veio à tona. Com 12 faixas e algumas participações, Okado lançava o Cada dia daria um rap, com letras de protesto e mensagens de conscientização social. Ellan foi evoluindo e emplacando diversas parcerias com artistas locais, a exemplo do projeto Cordel Marginal, da gravadora Sem Diploma Records e da coletânea Ato Periférico, com a música Morar na favela não é fácil, premiada no festival Freedom for Creativity Prize, em Londres. 

Em uma fase mais madura e aberta, o novo trabalho, intitulado Mudanças, fala sobre quebrar barreiras e respeitar os novos aprendizados. Na favela, a gíria 'a ideia é uma só' marca um comportamento em relação a se prender a discursos e atitudes. 'E aí, as pessoas muitas vezes acham errado voltar atrás, saca?', explica Okado. 'Nesse EP quero trazer o que é viver e aprender. Chico [Science] já dizia que 'um passo à frente e você não está mais no mesmo lugar'.

O pano de fundo vem da sua própria infância. Okado conta que, quando adolescente, não era apoiado pela mãe para entrar no Hip Hop. Do mesmo jeito que algumas mães da comunidade não queriam que ele se relacionasse com os seus filhos. 'Hoje em dia, minha mãe não perde um show, me apoia e ainda quer que meus sobrinhos pratiquem. É sobre esse tipo de mudança que estou falando', evidencia. 

Para além da música, Okado vem se consagrando como um dos nomes mais fortes dentro das lideranças periféricas do Recife. Assumindo a função de comunicador popular e produtor cultural no coletivo Favela News com a ONG Usina da Imaginação, ele vem promovendo discussões a fim de trazer atividades educativas à Favela do Canal, comunidade localizada na Zona Norte do Recife. 

Escute o EP completo

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Primeira Pessoa com Sam Nóbrega
O esforço de Guilherme e a rede de solidariedade que surgiu
Sobre Vidas: Natanael Ramos e Gil Sormany
Salão de Tóquio: Mitsubishi 2020
Grupo Diario de Pernambuco