Pernambuco.com
Pernambuco.com
Notícia de Divirta-se

Fernanda Gentil

Após fala polêmica sobre homofobia e racismo, Fernanda Gentil se defende com textão no Instagram

Publicado em: 28/10/2019 11:47

A apresentadora do Se Joga postou um %u201Ctextão%u201D no Instagram e disse ter ficado assustada, além de reclamar da edição da publicação. Foto: Reprodução/Redes Sociais
Alvo de críticas nas redes sociais após recente entrevista para a jornalista Mônica Bergamo, da Folha de S. Paulo, Fernanda Gentil se defendeu nesta segunda-feira (28). A apresentadora do Se Joga postou um “textão” no Instagram e disse ter ficado assustada, além de reclamar da edição da publicação. 

"Aí ainda agora li que eu ‘falei’ sobre respeito à homofobia e ao racismo. No mínimo, me confundiu muito. E me deixou assustada. Mas vi que assustou muita gente também, então me aliviou; sinal de que concordamos sobre coisas importantes, e discordamos de outras fundamentais. Pensamos e discordamos de outras fundamentais. Pensamos parecido sobre muitos conceitos. E temos vários absurdos em comum", disse a apresentadora, no texto no Instagram.

Fernanda também reclamou da edição da entrevista: "O que aconteceu foi que eu falei por duas horas na entrevista, um papo bem sincero e legal, mas ele só cabe em uma página. Então frases, vírgulas e pontos são cortados, é normal. Uma ponta cola na outra e cria-se um novo contexto. E nesse novo contexto eu virei dona de uma ideologia absurda", afirmou.
 
No Instagram, Fernanda Gentil ainda prometeu um encontro "olho no olho" com seus seguidores. "Sobre (não!!!!) respeitar. E ainda sobre isso, queria falar com vocês olho no olho. Vamos? Bora encontrar 23:15h aqui ao vivo? Espero vocês", escreveu.
 
A entrevista 
Na entrevista à Folha de S.Paulo, Fernanda Gentil afirmou: "Respeito quem acha um crime ter o beijo gay. Agora, não vai bater em quem beija, entendeu? [Respeito] quem infelizmente é racista. Agora, vai discriminar, bater, matar porque é de outra cor? Aí não", disse. Ela também disse: "Não torço para ter um filho gay, porque o Brasil não é um ambiente 100% seguro".
 
As declarações renderam inúmeras opiniões e críticas: "Racismo não é opinião. Racismo é crime. Que desserviço, Fernanda Gentil", disse um internauta. 
 
"O problema da entrevista não é nem esse título tendencioso da matéria mas sim ela dizer que respeita todas as opiniões "inclusive de quem infelizmente é racista" logo depois vem dizer que seu partido é o brasil PUTZ FERNANDA ESPERAVA MAIS DE VOCÊ", escreveu outro. 
 
Na entrevista, a jornalista também disse não gostar de bandeiras."Acho, de novo, que tem que ter a naturalidade das coisas. Eu também não vou botar meu filho [vestido] de rosa só pra mostrar que eu sou 'modernosa' e que eu estou nessa bandeira. Não vou botar um filme gay pra ele ver e dizer: 'Olha aqui, ó'. Ele vai vestir porque gosta. Vai amar alguém porque ama, porque tem uma essência parecida. Depois, por fora, ele vai ver qual é a dele, se é a mulher ou se é o homem", defende.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Primeira Pessoa com Sam Nóbrega
O esforço de Guilherme e a rede de solidariedade que surgiu
Sobre Vidas: Natanael Ramos e Gil Sormany
Salão de Tóquio: Mitsubishi 2020
Grupo Diario de Pernambuco