Abreu e Lima Kipupa Malunguinho leva a força da Jurema Sagrada à Mata do Catucá, neste domingo

Por: Samuel Calado - Redes Sociais e Site

Publicado em: 27/09/2019 23:42 Atualizado em: 27/09/2019 23:57

Foto: Kayo na Real/Divulgação
Foto: Kayo na Real/Divulgação

Neste domingo (29), a mata do Catucá, no município de Abreu e Lima, na Região Metropolitana do Recife, recebe a 14ª edição do Kipupa Malunguinho. O evento, que oferece uma programação diversificada, promove a religiosidade indígena e africana. Ele é realizado pelo Quilombo Cultural Malunguinho e Casa das Matas do Reis Malunguinho. A celebração terá início às 9h.

Os Bacamarteiros Mandacaru serão os primeiros a se apresentar. Eles irão fazer uma homenagem em memória 184 anos da morte do último malunguinho. O ato simboliza a luta e a permanência da memória de Malunguinho no imaginário do povo pernambucano. No mesmo momento, os grupos indígenas Pankararu e Fulni Ô estarão fazendo um ato contra a implantação das usinas nucleares em defesa da Amazônia. Em seguida, haverá a apresentação do Maracatu Nação do Reis Malunguinho em frente ao palco principal. Além de mostrar as calungas tombadas da Jurema, o grupo irá chamar o Calunga Gigante de Malunguinho, feito pelas mãos do Pai dos Bonecos Gigantes, Sílvio Botelho. 

Foto: Felipe Scapino/Divulgação
Foto: Felipe Scapino/Divulgação

Após a benção pelo calunga, dá-se início aos rituais com a fala do coordenador e juremeiro Alexandre L'Omi L'Odò, que abre religiosamente o evento. O líder espiritual irá conduzir a multidão até a mata para saudar as entidades da jurema sagrada, em especial, o dono da festa. "Geralmente o ritual dura em torno de uma hora e meia. Nele as pessoas levam presentes para ofertar à ancestralidade afro indígena. É um momento em que são entoados cânticos e toques para chamar essas entidades em terra. Inclusive, esses cânticos são conduzidos por todos os sacerdotes presentes", explica Alexandre. 

Após o meio-dia, acontecem as apresentações no palco principal. O Coco das Estrelas será o grupo que vai abrir os festejos com a energia dos povos guerreiros. Em seguida, virá a Orquestra do Axé, de Olinda. Após a orquestra, entrará em cena o grupo O tronco da Jurema, liderado pelo percussionista Juninho do Coco e a cantora revelação da cena negra pernambucana Obé Inã. "Esse grupo foi fundado há mais de dez anos para reverenciar o Mestre Galo Preto e hoje os filhos de santo da Casa das Matas do Reis Malunguinho", revela L'Odò. 

E encerrando a 14ª edição do evento, subirá ao palco o multiartista Lucas dos Prazeres, que foi homenageado no carnaval de 2019, pelo Homem da Meia-Noite. O artista traz músicas populares e autorais agregadas aos ricos efeitos sonoros feitos por ele, enquanto utiliza o corpo e a voz no espetáculo cênico.  

Foto: Kayo Na Real/Divulgação
Foto: Kayo Na Real/Divulgação

Na transição entre os shows irão acontecer outras atividades, como por exemplo o Prêmio Mourão que não bambeira, que dá visibilidade aos patrimônios vivos da Jurema Sagrada, que são os sacerdotes antigos da religião. Entre os homenageados estão a sacerdotisa Mãe Nailde de Oxum Jagurá, Mestra Têca e Mestra Têca de Oyá. Outra ação será o Kipupinha Malunguinho, realizada pelo Terreiro Oxalá Talabi. Ele é voltado para o público infantil tem a preocupação de manter viva a tradição da Jurema através das crianças.

 

Público
Na última edição, o Kipupa reuniu mais de 10 mil pessoas de todo o Brasil. Este ano, a expectativa é duplicar este quantitativo. Além das apresentações, haverá feira de artesanatos afroindígenas e barracas de alimentação, que estarão comercializando comidas e bebidas. Os comerciantes estarão com máquinas de cartão, mas vale ressaltar, que por ser um lugar com muitas árvores e distante da área urbana, a conexão com a internet oscila, logo, é importante levar dinheiro em espécie. 

Confira a programação completa:   

09h00 - Bacamarteiro Mandacaru
09h30 - Maracatu Nação do Reis Malunguinho
10h00 - Primeiro Encontro de Calungas Gigantes de Pernambuco
10h40 - Procissão de Malunguinho para dentro da mata sagrada (ritual de Jurema)
12h30 – Coco das Estrelas (Palco principal)
13h30 – Grupo “O Tronco da Jurema e Mestra Ana Lúcia do Coco” (Palco principal)
15h00 - Orquestra do Axé (Palco principal)
16h00 - Lucas Dos Prazeres (Palco principal)

Lista dos homenageados no Prêmio Mourão que não bambeia:

1 - Mãe Naílde de Tertuliano (90 anos de idade e 77 anos de Jurema) – Recife/PE
2 - Dona Maria de Galo Preto - Olinda/PE
3 - Pai Alex de Zé da Pinga – Arapiraca/AL
4 - Maria do Carmo de Souza – Iyá Onílé Màrìwó (em seu centenário in memórian) – Limoeiro/PE
5 - Mãe Lourdes de Oxum (in memórian) – Recife/PE
6 - Pai Carlos das Almas (in momórian) – Peixinhos/Olinda
7 - Mestra Têca de Oyá (Terezinha José dos Santos) - Recife/PE

Serviço 
Kipupa Malunguinho 
Quando: 29 de setembro de 2019. 
Onde: Mata do Catucá, em Abreu e Lima. 
Horário: 9h 
Endereço: 
Informações: (81) 98887-1496 / 99525-7119 / 99428-7898 / 99955-9951
 



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.


Últimas