Opinião Proposta arrebatadora transforma 'Yesterday' em clássico instantâneo

Por: Thales de Menezes - Estado de Minas

Publicado em: 28/08/2019 20:25 Atualizado em:

Foto: Divulgação (Foto: Divulgação)
Foto: Divulgação
A ideia é simplesmente genial. Um belo dia, o mundo inteiro se esquece dos Beatles. De uma hora para outra, todos os resquícios da passagem do grupo desaparecem. O jovem britânico Jack Malik parece ser o único imune a essa bizarra amnésia coletiva.

"Yesterday" é um filme encantador e corajoso. Insere uma discussão sobre ética e moral numa história que todos acompanham com sorriso no rosto, admirando como o roteiro costura a música dos Beatles de forma divertida. E tem coragem de não explicar muito (ou quase nada) o estranho fenômeno que apresenta.

Curioso é que não é preciso gostar dos Beatles para se envolver. É difícil não comprar a proposta de fábula moderna. O diretor Danny Boyle (de "Trainspotting") e o roteirista Richard Curtis ("Quatro Casamentos e um Funeral") criaram uma história diante da qual o espectador não resiste a se sentir no lugar de Malik.

Cantor fadado ao fracasso, ele quase enlouquece ao tocar "Yesterday" ao violão numa mesa com amigos e todos adoram e querem saber como ele compôs algo tão incrível.

Malik fica confuso e, aos poucos, começa a entender a situação. Depois de uma sequência de cenas muito engraçadas em que tenta encontrar qualquer registro dos Beatles, percebe que a busca é inútil.

Assim, tem uma mina de ouro no cérebro. Puxa pela memória as letras e vai tocando cada um dos clássicos desaparecidos. Aí só resta resolver a questão: será capaz de mostrar como se fosse obra dele?

Em questão de semanas, larga o emprego num supermercado, passa a abrir a turnê de Ed Sheeran e começa a gravar o álbum mais esperado da indústria pop. Mas o engenhoso roteiro vai pondo obstáculos.

Malik não conta a verdade nem mesmo a Ellie, a melhor amiga que sempre persistiu em ser sua empresária no tempo das vacas magras e é completamente apaixonada pelo cantor. E ele parece ser o único a não enxergar esse amor. A ponto de trocar Ellie por uma poderosa empresária, o personagem cruel que quase todas as fábulas têm.

Numa longa lista de motivos para ver o filme, os atores têm destaque. Himesh Patel transmite a perplexidade de Malik diante do que está ocorrendo numa atuação primorosa. Como Ellie, Lily James ilumina a tela com seu amor e devoção.

Até o ídolo pop Ed Sheeran está muito bem. Se bem que seu trabalho é facilitado porque ele tem de interpretar... Ed Sheeran! Mas é possível falar bem de todo o elenco. Danny Boyle sempre demonstrou muito carinho por todos os personagens de seus filmes, mesmo aqueles que pouco aparecem na tela.

"Yesterday" é um desses filmes com uma proposta tão arrebatadora que nunca envelhecem. Como "Feitiço do Tempo", a comédia de 1993 do "dia da marmota", em que Bill Murray é condenado a viver repetidamente as últimas 24 horas, com os mesmos acontecimentos surgindo a cada manhã. São filmes que já nasceram clássicos.

"Yesterday" pode ser definido como uma história para mostrar como o mundo seria muito pior sem os Beatles. Mas também serve para mostrar que o cinema seria muito pior sem Danny Boyle.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.


Últimas