Opinião Cinco vezes que 'A Dona do Pedaço' foi um atentado à inteligência do público

Por: Vinicius Nader

Por: Correio Braziliense

Publicado em: 08/08/2019 20:53 Atualizado em:

Foto: Reprodução/TV Globo (Foto: Reprodução/TV Globo)
Foto: Reprodução/TV Globo
O não compromisso com a verossimilhança é quase uma marca registrada de Walcyr Carrasco em suas novelas. O autor de A dona do pedaço guarda uma coleção de polêmicas em outros trabalhos e não faz diferente no atual folhetim das 21h.

O Próximo Capítulo engrossa o coro dos descontentes com alguns pontos de A dona do pedaço e se sente subestimado em alguns casos. Com todo respeito à liberdade de criação do autor, fizemos uma lista com cinco vezes em que A dona do pedaço duvidou da inteligência do público.

Assassinato de Jardel

Nos capítulos desta semana, o mordomo Jardel (Duio Botta – Leia entrevista com ator) foi assassinado por Josiane (Agatha Moreira) de uma maneira no mínimo estranha. A vilã marcou com ele em uma via pública e movimentada, perto de uma estação do metrô, para entregá-lo dinheiro proveniente de uma chantagem que ele estava fazendo com ela por ter descoberto o caso dela com Régis (Reynaldo Gianecchini). Eles estão conversando, com ele fazendo mais ameaças a ela, quando Josiane o empurra no meio da rua e ele é atropelado por um caminhão e morre.

Toda a cena %u30FC desde o encontro entre eles %u30FC é filmado por Fabiana (Nathália Dill), que sempre está na hora certa no momento certo, mas ninguém mais viu. Sim… a rua estava movimentada e ninguém viu que Jardel foi empurrado e nem que Josiane fugiu do local. Nem as câmeras de segurança registraram, pois, segundo o investigador Camilo (Lee Taylor), elas têm um ponto cego. Adivinhou onde Josiane estava? Pois é!

Pensão alimentícia de 1 salário mínimo
 
Na verdade, todo o processo de divórcio entre Agno (Malvino Salvador) e Lyris (Deborah Evelyn) é um atentado à nossa inteligência, salvo apenas pelos dois atores, que estão bem no papel. Mas a gota d’água foi uma decisão judicial concordar com Agno e fixar a pensão para Lyris em um salário mínimo, fazendo o padrão de vida dela e da filha do casal despencar. O Correio fez uma matéria sobre os erros jurídicos desse divórcio. Volto a dizer que respeito o livre criar de Walcyr, mas o público não é mais bobo, não!

A “inocência” de Maria da Paz
 
A rede Bolo da Paz é enorme %u30FC tem 10 lojas e caminha para abrir mais duas. Tudo isso é fruto do suor e do trabalho de Maria da Paz (Juliana Paes), que vive falando que se orgulha da trajetória que a levou de uma vendedora de bolos numa kombi a empresária de sucesso. Mas a “ingenuidade” de Maria da Paz é de deixar qualquer telespectador de muito mau humor.

Ela é enganada pela filha Josiane e pelo marido Régis a todo momento. Até na contratação de um bufê superfaturado para o próprio casamento, Maria da Paz foi passada para trás. Mas ela não é do ramo? Não percebeu que estava sendo enganada? E olha que tem um batalhão capitaneado por Amadeu (Marcos Palmeira) e Márcio (Anderson Di Rizzi) tentando salvá-la. Complicado, viu…

Noviça malvada

Na primeira fase de A dona do pedaço, Fabiana escapou de ser morta e, ainda criança, foi parar num convento. As freiras a criaram. Ela era uma espécie de contadora e diretora financeira do local. Até que ela descobre que é irmã de Vivi (Paolla Oliveira) e vai em busca da parente rica. Mas onde Fabiana aprendeu tantos golpes e de onde ela tirou tanta malícia e mesmo o modo de falar e vestir? Vale lembrar que, ainda no convento, Fabiana reclamou que nem televisão podia assistir com frequência. Tem gente que acende uma vela para Deus e outra… Deixa pra lá!

Vovó matadora

Também na primeira fase, A dona do pedaço era centrada na disputa sangrenta entre as famílias Ramirez (de Maria da Paz) e Matheus (de Amadeu). Uma das cenas mais comentadas dessa fase foi a chacina promovida por Dulce Ramirez (Fernanda Montenegro). Uma de nossas maiores atrizes protagonizou uma sequência de gosto pra lá de duvidoso. Durante um acerto de contas com Miroel Matheus (Luiz Carlos Vasconcelos), ela saca a arma e mata ele e os filhos dele, Ticiana (Áurea Maranhão) e Vicente (Álamo Facó), toca fogo na casa deles e volta pra casa numa carroça. Lá, ela conta o que aconteceu para o filho Ademir (Genézio de Barros) e para a nora Evelina (Nívea Maria) e morre. Detalhe: ela fez tudo isso baleada!


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.


Últimas