teatro Peça no Recife apresenta os conflitos de um velho personagem do cavalo-marinho

Por: Viver/Diario - Diario de Pernambuco

Publicado em: 11/07/2019 17:25 Atualizado em:

Foto: Ricardo Lima/Divulgação
Foto: Ricardo Lima/Divulgação
O repertório de histórias e conflitos de um velho Mateus de cavalo-marinho afastado da brincadeira será o mote do solo Martelada, que será encenado nesta quinta-feira (11), às 20h, no Bar Teatro Mamulengo. A peça do coletivo de palhaças Violetas da Aurora estreia o projeto Marsenal, que surge com o objetivo de realizar apresentações semanais no espaço e valorizar o cenário teatral recifense.

A narrativa de Martelada foi construída após andanças do diretor e ator Cláudio Ferrario por quatro cidades da Zona da Mata Norte de Pernambuco, e faz uma viagem abstrata inspirada nas três vezes em que o Mestre Martelo, o Mateus do Cavalo Marinho Estrela de Ouro de Condado, afirma ter ido ao inferno. O personagem é um velho guardador de mistérios, contador de histórias, filósofo da existência, que recebe em sua casa visitantes interessados em ouvir seus "causos".

"Em tempos de repressão, cabe à arte colocar-se como instrumento de resistência. Fazer teatro no Brasil sempre foi um ato de resistência e agora mais do que nunca. Sem nenhum incentivo ou apoio, Martelada nasce, portanto, antes de tudo do desejo de resistir”, diz Cláudio Ferrario em comunicado à imprensa.

SERVIÇO
Estreia de Marsenal com Martelada, de Cláudio Ferrario
Onde: Bar Teatro Mamulengo (Rua da Guia, 211, Bairro do Recife)
Quando: 11 de julho às 20h
Quanto: contribuição colaborativa


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.


Últimas