Despedida Morre a atriz Ruth de Souza, aos 98 anos

Por: Diario de Pernambuco

Por: Correio Braziliense - Correio Braziliense

Publicado em: 28/07/2019 14:34 Atualizado em: 28/07/2019 17:23

O último trabalho de Ruth de Souza foi na minissérie "Se eu fechar os olhos agora", exibida em abril - João Cotta/Globo
O último trabalho de Ruth de Souza foi na minissérie "Se eu fechar os olhos agora", exibida em abril - João Cotta/Globo
Morreu neste domingo (28) a atriz Ruth de Souza. Ela tinha 98 anos e estava internada no Centro de Tratamento Intensivo do Hospital Copa D'Or, em Copacabana, na Zona Sul do Rio, desde segunda-feira com um quadro de pneumonia. Ruth morreu às 11h20 deste domingo.

Filha de um lavrador e de uma lavadeira, carregava desde a infância o sonho de atuar. A carioca de Engenho de Dentro foi a primeira atriz negra a se apresentar no Theatro Municipal do Rio de Janeiro, com a apresentação da montagem "O Imperador Jones", de Eugene O’Neil, do Teatro Experimental do Negro, grupo fundado por Abdias Nascimento e Agnaldo Camargo. Ainda no teatro, Ruth esteve em 30 produções e sua trajetória abriu caminhos para o artista negro no Brasil. 

Ela foi a primeira atriz brasileira a ser indicada ao prêmio de melhor atriz num festival internacional de cinema, com 'Sinhá Moça', no Festival de Veneza em 1954, e atuou em cerca de 40 filmes como 'O Assalto ao Trem Pagador', 'Orfeu Negro' e 'Filhas do Vento'. 

Ruth estreou na televisão pelas mãos de Ivani Ribeiro, em 1965, na novela "A Deusa Vencida" (1965).  Trabalhou em programas de variedades e musicais desde as primeiras das transmissões da TV Tupi, até adaptar para a televisão, com Haroldo Costa, a peça "O Filho Pródigo", que havia encenado no Teatro Experimental do Negro.

Ruth de Souza em cena de "Senhora do Destino", em 2004 - Divulgação/Globo
Ruth de Souza em cena de "Senhora do Destino", em 2004 - Divulgação/Globo
Passou pela TV Record e, em 1968, foi contratada pela Globo para atuar na novela "Passo dos Ventos", de Janete Clair. Tornou-se a primeira atriz negra a protagonizar uma telenovela: "A Cabana do Pai Tomás", em 1969. Além dela, esteve ainda em "Os Ossos do Barão", "O Rebu", "Cambalacho", "Rainha da Sucata", "O Clone" e "Senhora do Destino" - um total de 32 novelas e dezenas de outros trabalhos, como os seriados "Memorial de Maria Moura" e "Na Forma da Lei".  
 
Ruth não tinha filhos, apenas sobrinhos. Em 2019, foi homenageada pela escola de samba Acadêmicos de Santa Cruz durante desfile da Série A do carnaval do Rio, com o enredo "Ruth de Souza – Senhora liberdade. Abre as asas sobre nós".

O último trabalho dela na Globo foi na minissérie ‘Se eu fechar os olhos agora’, exibida em abril deste ano. Na obra recriada por Ricardo Linhares, interpretou Madalena, uma senhora abandonada. A personagem era 'adotada' pelos meninos Paulo Roberto (João Gabriel D’Aleluia) e Eduardo (Xande Valois) antes de ser assassinada.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.


Últimas