Teatro Livro confessional do cantor Geraldo Maia ganha adaptação ao teatro

Por: Emannuel Bento - Diario de Pernambuco

Publicado em: 25/07/2019 20:09 Atualizado em:

Foto: Sori Galtama/Divulgação
Foto: Sori Galtama/Divulgação
Geraldo Maia ficou conhecido no cenário musical como um artista em constante transformação. Passeou pelo maracatu, coco de rabeca, samba, baião e até fado eletrônico. Em 2017, os holofotes se deslocaram, mesmo que temporariamente, para sua vida pessoal. Foi quando o artista lançou Breu, livro composto por um longo poema corajoso em que narra desventuras e angústias da infância e parte da adolescência, tendo como ponto de partida o episódio em que presenciou a morte da mãe, aos 5 anos, além da descoberta da homossexualidade através de uma abuso. A força poética da obra inspirou o Coletivo Grão Comum, liderado pelo ator pernambucano Júnior Aguiar, a idealizar um espetáculo teatral homônimo.

A peça estreia neste nesta sexta-feira (26), às 20h, no Teatro Arraial Ariano Suassuna, Centro do Recife. Segue em cartaz no sábado (27), e no próximo final de semana (2 e 3 de agosto). A realização também serve como espécie de celebração aos 60 anos de vida de Geraldo, comemorados em maio deste ano, e os 40 anos de uma carreira musical contemporânea a nomes como Lenine, Zeh Rocha e Lula Queiroga. Na ocasião, haverá um relançamento do livro com a presença do cantor, que vai autografar exemplares.

O Coletivo Grão Comum ganhou espaço no cenário das artes cênicas na capital pernambucana ao realizar a Trilogia Vermelha - espetáculos que abordam as biografias do cineasta Glauber Rocha, o religioso Dom Helder Câmara e o educador Paulo Freire. Assim, Breu inicia um novo ciclo de pesquisa e experimentação na carreira de Júnior Aguiar. “Já usamos músicas do Geraldo Maia nesses espetáculos. Desde que li Breu pela primeira vez percebi que ali havia uma peça pronta, com literatura refinadíssima. Eu pedi a permissão para fazer a adaptação e ele me deu as bênçãos”, conta o ator, que protagoniza dirige a peça, contando com apoio da codireção com Asaías Rodrigues.

Foto: Sori Galtama/Divulgação
Foto: Sori Galtama/Divulgação
O espetáculo é estruturado em quinze ciclos dramatúrgicos baseados no livro, e vários trechos foram adaptados para a linguagem teatral. Trata-se de um monólogo que tem como cenário o velório da mãe de Maia - Júnior Aguiar também perdeu a mãe cedo, aos 11 anos, o que criou uma espécie de sinestesia entre as biografias que resulta em uma atuação pulsante. “O segundo ponto é uma confusão entre dor e prazer, algo que ocorre assim que ele descobre a homoafetividade pela criação católica”.

Geraldo Maia se diz curioso e com expectativa para descobrir como seu livro foi adaptado. “Eu vi a Trilogia Vermelha e fiquei feliz que ele tenha se identificando com o texto. É um livro pequeno, mas duro e complicado. Mas acredito que ele encontre os meios para manter a densidade e rotear a dramaturgia, levando reflexão ao público. Que as pessoas saíam contaminadas e contagiadas por essa reflexão”, finaliza o cantor.

SERVIÇO
Espetáculo Breu 
Onde: Teatro Arraial Ariano Suassuna (Rua da Aurora, 457, Boa Vista)
Quando: nesta sexta-feira (26) e sábado (27), às 20h. Dias 1 e 2 de agosto, também às 20h
Quanto: R$ 40 e R$ 20 (meia)
Informações: 98595-5685


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.


Últimas