Exposição no Recife investiga as relações de trabalho desde a colonização

Por: Viver/Diario - Diario de Pernambuco

Publicado em: 11/07/2019 12:27 Atualizado em:

Assinada pelo artista pernambucano Márcio Almeida, traz quatro instalações. Foto: Nheë Nheë Nheë/Divulgação
Assinada pelo artista pernambucano Márcio Almeida, traz quatro instalações. Foto: Nheë Nheë Nheë/Divulgação
 
A exposição lança um olhar sobre as relações de trabalho, desde os tempos da colonização até hoje.  Com questionamentos voltados aos novos e velhos modelos de escravidão, o artista pernambucano Márcio Almeida, natural de Água Preta, leva para a Galeria de Artes Corbiniano Lins, no Sesc Santo Amaro, a exposição Nheë Nheë Nheë.  A exposição foi aberta ao público na quarta-feira (10) e ficará até 28 de setembro, com acesso gratuito, e visitas das 9h às 17h.
 
“É um paralelo em relação à questão do trabalho ocidental e ócio tropical e tem como base a interferência das religiões e as estratégias que os colonizadores usavam para catequizar os povos indígenas”, define o artista, que concebeu o projeto durante sua residência na Usina de Arte Santa Terezinha, na Zona da Mata Sul do estado. O nome da exposição vem do tupi-guarani “Nhe”, que significa “fala”, e se expande para "Nhenhenhém" que pode ser traduzido como falar muito ou tagarelice.
 
A exposição é composta por quatro instalações, e duas delas são inéditas. Uma das novidades é Nheë Nheë Nheë, que leva o mesmo nome da mostra, e traz 13 peças criadas com galhos de oliveira, pás e ferro de cova que dão forma a ferramentas de trabalho. Na tarde de abertura, o evento contou com a artista e performer Flávia Pinheiro, que  preparou uma apresentação e intervenções com as obras.
 
Outra obra inédita para o público se chama Nosso descanso é carregar pedras, que utiliza cartões de ponto pintados com aquarela em formato de pedras. As duas demais são Waiting for work com uma série de dez fotografias reais retratando o descanso de funcionários após o intervalo do almoço, e Truck sistem, que lança luz sobre a servidão por dívida. Por meio de mais de 30 papéis carbono coletados e grafados, Márcio pretende atentar para a questão do endividamento e a classe trabalhadora.
 
SERVIÇO
Exposição Nheë Nheë Nheë
Quando: de 10 de julho a 28 de setembro, das 9h às 17h
Quanto: gratuita
Onde: Sesc Santo Amaro (Rua 13 de Maio, 455, Santo Amaro)
Informações: 3216-1728



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.


Últimas