Cultura Companhia de dança coloca vítimas de Brumadinho no palco e vence maior festival do mundo

Por: Estado de Minas

Publicado em: 26/07/2019 12:04 Atualizado em:

Foto: Renata Ataíde/Divulgação.
Foto: Renata Ataíde/Divulgação.
No dia em quem foram completados seis meses do rompimento da barragem da Vale, que deixou 248 mortos e 22 desaparecidos em Brumadinho, na Grande BH, uma companhia de dança formada por moradores da região recontou o desastre no palco para mais de 10 mil pessoas e venceu uma das categorias do Festival de Joinville. Ele é considerado a maior competição de dança do mundo desde 2005, quando foi reconhecido pelo Guinness Book. 

A Cia Jovem de Paraopeba, criada na cidade de mesmo nome, conquistou o 1º lugar na categoria grupo sênior da Dança Contemporânea na noite dessa quinta-feira, 26 de julho.

Com a coreografia “Efeito Cascata”, eles representaram o sofrimento dos atingidos pelo rompimento da barragem em janeiro. Segundo o coreógrafo Alan Keller, os movimentos foram inspirados na avalanche de lama, que também estava representada nos figurinos. 


A apresentação começa com 22 bailarinos no palco e, ao final, 45 pessoas representavam a cidade de Paraopeba, cujo rio de mesmo nome foi comprometido pelos rejeitos da mineração.

Alan Keller convidou moradores da população ribeirinha, afetados pelo crime ambiental, para compôr o grupo. “Tínhamos o dever de contar essa história que mudou a vida de milhares de pessoas”, disse. Eles dançaram ao som de uma versão do Hino Nacional feita especialmente por Chico Lobo e Sérgio Pererê, com produção de Ricardo Gomes.

Tricampeonato
Este é o terceiro prêmio consecutivo da Cia Jovem de Paraopeba nessa categoria Festival de Joinville, feito inédito na competição. Trabalhando com temas fortes, a companhia ganhou em outra ocasião com uma coreografia que retratava a guerra na Síria. 
Os bailarinos voltam ao palco no sábado para a noite dos campeões e também foi indicada como melhor grupo do festival. 

História
O projeto começou em 2005 na intenção de oferecer aulas gratuitas de dança para jovens entre 13 e 18 anos de escolas públicas. Com o passar dos anos, os alunos foram se profissionalizando e os artistas foram ganhando reconhecimento no mercado. Atualmente, a Cia Jovem de Paraopeba é referência na formação de bailarinos e atua em três frentes de trabalho: a Paraopeba Cia de Dança (grupo profissional) composto por nove bailarinos, a Cia Jovem de Paraopeba (nível profissionalizante), que tem 30 alunos e o Dança Paraopeba, com 80 crianças. A Prefeitura de Paraopeba também apoia o grupo. 


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.


Últimas