show Avoada, projeto de música independente recifense, lança EP

Por: Viver/Diario - Diario de Pernambuco

Publicado em: 09/07/2019 15:11 Atualizado em: 09/07/2019 16:24

Projeto musical itinerante formado pelos compositores pernambucanos Juvenil Silva, Feiticeiro Julião, Marcelo Cavalcante e Marília Parente. Foto: Juliano Valença/divulgação
Projeto musical itinerante formado pelos compositores pernambucanos Juvenil Silva, Feiticeiro Julião, Marcelo Cavalcante e Marília Parente. Foto: Juliano Valença/divulgação

Embalados pelo folk de Bob Dylan e pela psicodelia nordestina dos anos 1970, a banda independente Avoada, que tem seu som centrado na guitarra, teclado e violão, lança seu primeiro EP nessa quarta-feira (10), nas plataformas digitais. Amigos, a estrada, a liberdade de cantar e viver é o cerne do projeto formado por Juvenil Silva, Marília Parente, Feiticeiro Julião e Marcelo Cavalcante. 
 
Com suas letras que recorrem constantemente às temáticas da estrada e da liberdade, Avoada abarca uma postura política em prol da liberdade e contra a nova onda conservadora mundial. O EP de nome homônimo a banda, conta com quatro músicas escritas exclusivamente para Avoada, incluindo o single Nas ruas onde estão as pessoas, que já foi lançado nas plataformas digitais em abril. No EP que será lançado nessa quarta, estarão as inéditas: Diário de bordo, Fantasma e Avoada.

Juvenil Silva conta que as quatro músicas surgiram de maneira espontânea, diante da urgência do quarteto de transformar em arte a preocupação com a atual conjuntura política brasileira. "Quando a gente olhava pra trás e via as canções de protesto, Bob Dylan e Belchior, nunca achamos que iríamos viver nesse tipo de delírio coletivo. De repente, a gente se pega com isso aparecendo como um fantasma que vimos que não estava morto, mas esperando a hora certa de voltar e massacrar a sociedade democrática. O EP traz músicas urgentes, canções de protesto".
 
Dessa forma, o trabalho emerge como um ebulição de fervor sonoro e político. Se colocando também como um resgate de uma canção brasileira ao estilo setentista: “É um trabalho conceitual como se fazia nos anos 1970, mas com poética engajada com as demandas da gente como brasileiro atualmente. Avoada para mim remete às viagens que seguem sendo tão necessárias, todas elas (risos), e às asas de uma juventude que precisa sonhar e não pode se conformar com o que está posto. Vamos à luta!”, ressalta Marília Parente. O show de lançamento só ocorrerá em agosto no Terra Café Bar, no bairro da Boa Vista.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.


Últimas