Música Thom Yorke lança seu disco solo Anima, com direito a curta na Netflix

Por: Viver/Diario - Diario de Pernambuco

Publicado em: 27/06/2019 09:24 Atualizado em: 28/06/2019 14:55

(Foto: Greg Williams)
(Foto: Greg Williams)

O vocalista da banda Radiohead, lançou essa quinta (27), seu terceiro disco solo.  Além do disco, também foi disponibilizado na Netflix um curta em parceria com o cineasta Paul Thomas Anderson, diretor de filmes como Magnólia (1999) e Trama Fantasma (2017). O álbum e o curta têm recebido boas críticas, principalmente por encoporarem camadas de experimentalismo sonoro e visual.

As nove faixas do álbum foram produzidas por Nigel Godrich, produtor de clássicos do Radiohead como Ok Computer (1997), Kid A (2000) e In Rainbows (2007). O trabalho será lançado em mídia física dia 19 de junho, tanto em CD como em vinil. A versão física contará também com uma faixa bônus chamada '(Ladies & gentlemen, thank you for coming)'.

Com 15 minutos de duração, o curta da Netflix é dirigido por Paul Thomas Anderson. Ele se inicia dentro do vagão de um metrô acinzentado. Thom e outros atores encenam uma coreografia experimental. Ao sair do metrô acompanhamos Thom em diversos cenários e sonoridades enquanto ele vagueia pela cidade. O diretor já havia trabalha com Thom e o Radiohead no clipe de Daydreaming (2016).

O trabalho é marcado pela experimentação com a música eletrônica. Segundo Thom Yorke, em entrevista a Revista Crack, a obra trata de distopias modernas e ansiedade:
 
“Isso da distopia faz parte (do disco), sim, mas para mim uma das maiores e mais prevalecentes coisas na hora de criar foi um senso de ansiedade. Quando você sofre disso, isso se manifesta de maneiras imprevisíveis e algumas pessoas tem reações super emocionais. Você não sabe o que está acontecendo. Por alguma razão acreditei que seria realmente um bom jeito de expressar criativamente esse sentimento a partir da criação de uma distopia. Tive muitas coisas voltadas para o visual nesse ponto”.

Confira o teaser:
 
 


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.


Últimas