Exposição no Recife traz novos olhares a filme de Bárbara Wagner e Benjamin de Burca

Por: Viver/Diario - Diario de Pernambuco

Publicado em: 26/06/2019 16:28 Atualizado em:

Foto: Chico Barros/Divulgação
Foto: Chico Barros/Divulgação
A Fundação Joaquim Nabuco apresenta, a partir desta quinta-feira (27), às 19h, a exposição "Faz que vai", que estará em cartaz nos próximos meses na Galeria Vicente do Rêgo Monteiro, no campus Derby, com entrada gratuita. Faz que vai (2015) é o primeiro filme produzido por Bárbara Wagner e Benjamin de Burca.

Na obra eles investigam a forma como praticas culturais coletivas influenciam jovens periféricos do Nordeste brasileiro e como eles as transformam. “Faz que vai, mas não vai” remete a um momento de instabilidade e nomeia um dos passos do frevo, ritmo musical e dança criados em Pernambuco, no final do século 19, declarado Patrimônio Imaterial da Humanidade pela UNESCO.

No filme, os produtores retratam como bailarinos articulam, de forma individual, tradições populares, estando incluídos em um contexto sócio-econômico e de gênero. Abordando como as práticas coletivas, ligadas a música e dança, são absorvidas pelos jovens moradores de periferia de cidades nordestinas do Brasil e como eles transformam isso em algo inovador.

Neste sentido, Bárbara e Benjamin protestam por um lugar de afirmação do frevo e questionam a noção da visibilidade de corpos negros e periféricos, dando voz às minorias e marginalizados. Também reclamam ao frevo do século 21, a potência criadora e crítica que existia quando inventado.

Outras obras de Wagner e de Burca abordam essa temática, especialmente Estás vendo coisas (2017), Terremoto Santo (2018) e Swinguerra (2019). Os artistas fazem o uso de sintaxe audiovisual na produção dos filmes, utilizando técnicas que enfraquecem as diferenças entre ficção e documentário.

Durante a mostra estará em exposição a partitura de um frevo-canção inédito, nomeado Picadinho do faz que vai, mas não vai, composição de Nelson Ferreira e Sebastião Lopes. A Trajetória do Frevo (1988), curta metragem do cineasta e jornalista pernambucano Fernando Spencer também estará em exibição. Inclui, ainda, um conjunto de outros trabalhos, de autoria dos artistas Bárbara Wagner e Benjamin de Burca e de outros autores, selecionadas do acervo do Centro de Estudos e de Documentação da História Brasileira - Cehibra, da Fundação Joaquim Nabuco.

SERVIÇO
Exposição Faz que vai
Onde
: Fundação Joaquim Nabuco (Galeria Vicente do Rêgo Monteiro) Rua Henrique Dias, 609 - Derby, Recife - PE
Quando: Quinta-feira (27), às 19h
Quanto: Entrada gratuita

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.


Últimas