teatro Espetáculo recria a Konga dos circos para questionar a intolerância da sociedade

Por: Viver/Diario - Diario de Pernambuco

Publicado em: 26/06/2019 18:38 Atualizado em: 26/06/2019 18:58

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Inspirado na Konga, a mulher enjaulada que provocava aflição nos espectadores dos circos nordestinos, o monólogo A Mulher Monstro, que será exibida no Recife nesta quinta-feira (27), traça um paralelo com a situação política e social do Brasil após o impeachment da ex-presidente Dilma. A peça recria o cenário de uma mulher atrás das grades perseguida pela própria visão intolerante da sociedade, sem saber lidar com as relações pessoais em um cenário de ódio e corrupção.


Com direção, dramaturgia, atuação, cenografia e figurino de José Neto Barbosa, a obra parte do conto Creme de Alface, escrito por Caio Fernando Abreu e será apresentada às 20h, no Teatro Hermilo Borba Filho, com sessões até domingo (30). Criado em 2015, o espetáculo apresentado no formato de tragicomédia foi pensado para ser uma denúncia de expressões e atitudes fundamentalistas, e acabou se estendendo à criticar a presidência de Jair Bolsonaro.

 

Atualmente é costurado por colagens de declarações polêmicas do governante e correligionários, levantando também a discussão de assuntos como xenofobia, racismo, machismo, gordofobia, homo e transfobia. Além de questionar o crescimento do militarismo e a disputa por porte de armas. Durante a perfomance, José Neto, na pele da mulher presa à jaula e iluminada por baixa luz, vai se transformando em um verdadeiro monstro. E, a cada sessão são experienciadas performances diferentes, culminando em necessárias interações com a plateia.


A Mulher Monstro já foi assistida por mais de 10 mil pessoas, distribuídas em 14 cidades brasileiras e recebeu prêmio de de Melhor Monólogo do Teatro Nacional pela Academia de Artes no Teatro do Brasil/Prêmio Cenym em 2017, e em 2015 José Neto venceu o mesma premiação na categoria Melhor Ator.

SERVIÇO
Espetáculo A Mulher Monstro
Quando: 27 a 30 de junho
Horários: Quinta a sábado às 20h e domingo às 19h
Onde: Teatro Hermilo Borba Filho (Cais do Apolo, 142, Bairro do Recife)
Ingressos: R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia)



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.


Últimas