• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Diarinho Domingo tem bicicleta? Tem sim senhor Fomos ouvir essa galerinha que está se deliciando nos pedais. Convidamos você a se animar também e formar seu grupo para desbravar o Recife

Por: Gabriel Catunda

Publicado em: 06/05/2013 10:44 Atualizado em: 06/05/2013 12:33

Maria Helena e Maria Fernanda pulam cedo da cama. Credito: Arthur de Souza/Esp DP/DA Press
Maria Helena e Maria Fernanda pulam cedo da cama. Credito: Arthur de Souza/Esp DP/DA Press
Andar de bicicleta faz parte da nossa infância. Primeiro com as rodinhas, depois sem elas. Muitas quedas, medo e…até que um dia você tira de letra esta atividade tão gostosa que a cada dia fica mais distante da garotada que, por falta de espaço nas casas, prédios e ruas não tem mais onde andar. Mas no Recife, uma atitude do prefeito Geraldo Julio, junto a uma reivindicação cada dia mais forte da população, está tornando a atividade de andar de bike muito prazerosa e parte da rotina dos domingos na capital pernambucana. Na verdade, a ideia de adotar ciclofaixas pelo Recife comprova o quanto as políticas públicas - quando um gestor de um município, estado ou país resolve abraçar uma causa e torná-la real - são importantes para as nossas vidas.

Xô, preguiça

Maria Helena, 12 anos, e sua irmã mais nova, Maria Fernanda, 10, estão dando um show com as magrelas. Principalmente aos domingos, quando acordam bem cedinho, para percorrer as praças, que ficam no entorno do bairro da Jaqueira, onde moram. “Esse hábito veio com o meu pai. Ele sempre adorou andar de bike. Ele marca com seus amigos, que levam seus filhos para o Parque da Jaqueira. De lá, a gente roda a cidade”, explica Maria Fernanda.

A garota nos contou que, vez ou outra, a preguiça costuma bater na porta, mas quando ela pensa nas suas amiguinhas que também pedalam e nas belas paisagens dos bairros no Recife, qualquer esforço vale a pena. “Por questões de segurança, sempre saímos bem cedinho, por volta das 7 da manhã. O movimento de carros é bem menor. Além disso, o sol ainda está fraquinho, o que nos ajuda a ter mais resistência. Mesmo assim, quando chego em casa, estou morta de cansada”, finaliza. Sua irmã, Maria Helena, também lembrou que o mais importante é sempre andar com os equipamentos de segurança. Não importa o dia ou o local. “O capacete, as luvas e as roupas com proteção dos raios solares são essenciais. Além de prevenir contra acidentes, elas transformam nosso passeio em uma diversão, pois evitam as dores musculares”, ensina a garota.

Com pausa para o lanche

De fato, a adoção das ciclofaixas, campanha e feriados, está incentivando os pequenos a ter mais intimidade com os pedais. Os primos Cauê Marinho, de 9 anos, e Gabriel Victor, 11, também embarcaram nessa onda de andar de bike. Eles fazem parte do grupo “Biketeiros da vila”, formado por seus pais, tios e amigos. Nos fins de semana, a equipe vai de carro em direção ao Marco Zero, no Bairro do Recife. Lá é o ponto de partida, onde eles pegam as bikes e começam um passeio que só quem é fera consegue cumprir. “Um dia a gente percorreu uma distância de 38km do Marco Zero até a Jaqueira. Como estávamos com as canelas afiadas, resolvemos ir até o Dona Lindu. De lá, voltamos para nosso ponto de partida e repetimos a trajetória”, afirma Cauê.

Já o seu primo Gabriel afirma que as ciclofaixas trouxeram uma série de benefícios para os praticantes das duas rodas. “A segurança foi muito melhorada. A sinalização é excelente. Tem muitos fiscais observando se alguém pode infrigir a lei. Quase não temos a companhia dos carros e podemos curtir a paisagem”, destaca. Ele ainda ressaltou que pedalar ajuda a manter sua boa forma, já que adora comer muita besteira, e ter uma resistência de leão. “Nossos passeios sempre têm paradas obrigatórias, para tomar suco ou água de coco. Quando bate a fome comemos alguma barra de cereal para manter o pique”, diz.

Crescendo com os pedais

Marina Nóbrega com seus pais, Juan e Naíde. Crédito: Maria Eduarda Bione/Esp DP/DA Press.
Marina Nóbrega com seus pais, Juan e Naíde. Crédito: Maria Eduarda Bione/Esp DP/DA Press.
Andar de bicicleta tem sido o programa preferido da família da jornalista Naide Nóbrega, seu marido Juan Pablo e a pequena Marina, 2 anos. Aos poucos, ela e seus pais estão desbravando as ruas da cidade sobre uma nova ótica. “Quero ser como a minha mãe”, diz a pequena. Naide era competidora e agora está repassando todo o macete das pedaladas à filha. A mãe aprovou a iniciativa das ciclofaixas e também os horários de seu fucionamento (começa às 7h e termina às 16h). “Mas o projeto ainda precisa de alguns ajustes, principalmente para quem tem filhos novinhos”, diz ela. “O horário ideal para pedalar com minha filha é até as 9h ou a partir das 16h, pois o sol é bem fresquinho. Ninguém aguenta aquele calorzão do meio-dia, não é?”, completa a jornalista. E nem precisa dizer que Marina está aprovando o programa com a família.


Atenção na escolha!

A escolha de uma boa bicicleta também faz parte do repertório dessa turminha. Segundo eles, as magrelas escolhidas devem ser de alumínio, pois são mais leves e resistentes. Além disso, as marchas precisam ser práticas e a bike tem que vir equipada com faróis e sinalizadores. Outra dica importante é que as lojas especializadas não estão restritas apenas aos shoppings. Os quatro cantos da cidade têm empresas com preços bem acessíveis.

 



 



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.


Últimas