• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Evite prejuízos Dicas para proteger sua bicicleta Na falta de segurança apropriada, alguns cuidados dificultam a possibilidade de furtos

Por: Laís Araújo - Diario de Pernambuco

Publicado em: 30/04/2013 22:05 Atualizado em: 30/04/2013 15:50

Para evitar roubos prenda a bicicleta de forma a dificultar o desmonte. Foto: Bruna Monteiro/DP/D.A Press
Para evitar roubos prenda a bicicleta de forma a dificultar o desmonte. Foto: Bruna Monteiro/DP/D.A Press
Enquanto os bicicletários de qualidade são equipamentos raros na cidade do Recife, quem usa bicicleta para se locomover precisa se virar. Ter cuidado com certos detalhes – como a forma de prender a bicicleta e qual trava comprar – pode evitar grandes prejuízos para o ciclista. Conhecer a própria bicicleta é etapa básica e essencial, mas por vezes negligenciada, por quem começa a pedalar. Saber bem como funciona a magrela leva o ciclista a ter mais cuidado na hora de estacioná-la pela cidade.

Marcela Lins, estudante, teve sua bicicleta furtada no começo de abril. Sobrou apenas a roda dianteira. Ela havia deixado a bicicleta num ponto de grande movimento no bairro do Monteiro, Zona Norte do Recife. “Quando fui prender a bicicleta cheguei a cogitar que poderia ser inseguro, mas vi tanta gente no local que me despreocupei. Sabia dos riscos, mas confiei no movimento”. Seu cadeado, uma corrente de aço grossa com código numérico, foi ineficaz pela forma como foi preso: prendia apenas o aro da roda a um portão, mas não envolvia o quadro da bicicleta. “Sei como devo prender e tinha cuidado quando deixava minha bicicleta em lugares públicos. Mas nesse dia não prestei muita atenção porque realmente pensei que não fosse acontecer nada”.

Para evitar que aconteçam roubos desse tipo, é preciso lembrar que a bicicleta é um veículo que pode ser desmontado com certa facilidade. Prender a bicicleta de forma a dificultar o desmonte é uma regra básica para mantê-la segura. Para os mais precavidos, seria recomendado ter ao menos dois cadeados de segurança – ou um de longa extensão que consiga envolver a bicicleta inteira – para deixar as rodas presas ao quadro. Mas boa parte dos ciclistas se vira com uma corrente só. Neste caso, recomenda-se que a roda traseira seja presa ao quadro e ao ponto de fixação escolhido (seja este paraciclo ou local improvisado, como poste ou tronco de árvore). “Mesmo em local que pareça seguro e movimentado, é preciso lembrar de travar a bicicleta da forma correta”, recomenda Marcela, que, mesmo após o prejuízo, quer continuar andando de bike.

É possível encontrar diferentes tipos de cadeados no Recife. Na Avenida Norte, ponto da cidade com oficinas e lojas de bicicleta, os cabos de segurança saem de estoque rapidamente. “Realmente temos vendido muitos, principalmente os do tipo espiral com chave”, conta Paulo José, gerente da loja e oficina Suzy Bike. “Mas vende-se quase na mesma quantidade que o do tipo com código numérico. Os de código geralmente são preferidos por quem tem medo de perder a chave”. Nas lojas da Avenida, os tipos mais comuns de trava podem ser encontradas entre R,00 e R,00. Investir num bom cadeado e saber como prendê-lo é um dos passos para reduzir o risco de furto do veículo.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.


Últimas