Teatro Peça Espera o Outono, Alice volta ao Teatro Marco Camarotti neste fim de semana O espetáculo é construído com trechos de músicas e projeções que evocam o estado emocional dos personagens

Por: Viver/Diario - Diario de Pernambuco

Publicado em: 21/07/2018 09:34 Atualizado em: 21/07/2018 09:43

O elenco formado por Gustavo Soares, Isabelle Barros, Micheli Arantes e Natali Assunção. Crédito: Nataly Barreto/Divulgação
O elenco formado por Gustavo Soares, Isabelle Barros, Micheli Arantes e Natali Assunção. Crédito: Nataly Barreto/Divulgação

A inevitável tristeza pela perda de alguém querido e alegria trazida pelas boas memórias são polos opostos, mas também convergem em sensações agridoces. Essa mescla de sentimentos e sensações faz parte da peça Espera o outono, Alice, que após estrear no Janeiro de Grandes Espetáculos 2018 e fazer uma primeira temporada em março deste ano, retorna para duas sessões neste fim de semana. As apresentações serão no Teatro Marco Camarotti, no Sesc Santo Amaro (Rua 13 de maio, 455, Santo Amaro), no sábado, às 20h, e no domingo, às 18h. Os ingressos custam R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia).

Encenado pelo AMARÉ Grupo de Teatro, o espetáculo tem o elenco formado por Gustavo Soares, Isabelle Barros, Micheli Arantes e Natali Assunção, que se revezam no papel da personagem-título e de figuras secundárias da peça. Na encenação, eles compõem uma narrativa a partir de passagens da vida de Alice, em geral momentos absolutamente comuns, de fácil identificação por parte da plateia. Uma festa de aniversário, desencontros amorosos e uma ida ao cinema estão entre os fragmentos dessa vida retratada.

A peça é construída com o apoio de outras linguagens, com trechos de músicas, projeções que evocam o estado emocional dos personagens e várias referências pop, do cinema aos quadrinhos. O texto, assinado por Analice Croccia, Quiercles Santana e os integrantes do grupo de teatro, conta também com passagens de obras de autores como Pedro Bomba, Felipe André e Marla de Queiroz e Carl Sagan. A iluminação é de Natalie Revorêdo, enquanto o figurino e cenografia são de Micheli Arantes e Analice Croccia.

Surgido em 2014, o AMARÉ Grupo de Teatro tem mais um espetáculo no repertório, Amar é crime, baseado em um livro homônimo do escritor pernambucano Marcelino Freire e encenado em 2016. 


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.


Últimas