Acordo Temer tenta ampliar negócios com México A aproximação mexicana de parceiros da América Latina se dá em meio à ameaça do presidente americano, Donald Trump, de romper o Nafta

Por: AE

Publicado em: 24/07/2018 11:19 Atualizado em:

De concreto, os chefes de Estado de Brasil e México falaram das exportações de arroz, feijão e frango. Foto:Reprodução/Internet
De concreto, os chefes de Estado de Brasil e México falaram das exportações de arroz, feijão e frango. Foto:Reprodução/Internet
O presidente Michel Temer e o presidente do México, Enrique Peña Nieto, discutiram na noite de segunda-feira, 23, o aumento nas importações e exportações entre os dois países. Em clima amistoso, Temer afirmou que a negociação do Tratado de Livre-Comércio da América do Norte (Nafta) pelo governo mexicano não impede o aumento das relações de comércio exterior do país com o Brasil.

"Eles estão trabalhando nisso (Nafta), mas nada impede que se incremente as exportações e importações entre Brasil e México", afirmou Temer, que ouviu do mexicano que a conversa com o Brasil terá de esperar até agosto, após novas negociações com EUA e Canadá.

A aproximação mexicana de parceiros da América Latina se dá em meio à ameaça do presidente americano, Donald Trump, de romper o Nafta. Também na segunda-feira, Peña Nieto classificou como "sensível" a negociação do acordo, mas disse que é uma oportunidade de modernização.

Temer e Peña Nieto saíram da reunião em Puerto Vallarta, onde acontece o primeiro encontro entre presidentes do Mercosul e da Cúpula do Pacífico, para jantar com outros presidentes presentes à cúpula. 

De concreto, os chefes de Estado de Brasil e México falaram das exportações de arroz, feijão e frango. Segundo Temer, o México quer exportar feijão, enquanto o Brasil tem interesse na exportação de arroz. O segundo ponto apresentado por Temer foi o aumento da cota de exportação de frangos para o México.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.


Últimas