Mina do Feijão Em reunião com Vale, Dodge dirá que empresa infratora tem dever de reparar dano

Por: AE

Publicado em: 31/01/2019 14:21 Atualizado em:

Foto: José Cruz/ Agência Brasil
Foto: José Cruz/ Agência Brasil
A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, disse nesta quinta-feira (31) que no encontro que terá no período da tarde com o presidente da Vale, Fábio Schvartsman, para tratar da tragédia em Brumadinho, deverá abordar que a empresa que comete infração tem o dever de reparar o dano. Raquel Dodge falou com jornalistas após encontro com representantes do Movimento de Atingidos por Barragens, na sede da Procuradoria-Geral da República, em Brasília.

Em Brumadinho, no sábado (26), a procuradora-geral defendeu a busca por soluções extrajudiciais, que, em sua avaliação, tendem a ser mais rápidas. "Cada um assumindo o seu dever de responsabilidade de indenizar e adotar medidas emergenciais. Não é preciso aguardar decisão da Justiça. Aquele que comete infração tem o dever de reparar o dano. E é nessa linha a minha conversa hoje à tarde (com o presidente da Vale)", disse.

A procuradora-geral informou que a audiência foi solicitada pelo próprio presidente da mineradora. "Mas fiz questão de receber primeiro os representantes das pessoas desaparecidas", explicou.

Procurada pela reportagem sobre o encontro com a procuradora-geral da República, a Vale disse que não vai comentar.

Observatório
Mais tarde, às 16 horas, Raquel Dodge se reúne com o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), ministro Dias Toffoli, para tratar do rompimento da barragem da Vale.

No encontro, está programada uma solenidade de assinatura de um documento que expressará a coesão das duas instituições em torno da priorização da busca por soluções envolvendo o desastre. "Será um observatório que instituiremos com o objetivo de acompanhar trabalho dos promotores naturais e dos juízes de cada caso. Tanto do ponto de vista judicial quanto extrajudicial. Nossa ideia aqui hoje no MPF é sempre fortalecer o trabalho institucional. Fortalecer atuação, não deixar que falte estrutura adequada, peritos, nem dinheiro para o pagamento da perícia", afirmou.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.


Últimas