Brumadinho Tropa de Israel que atuou em Brumadinho se despede de bombeiros e policiais mineiros

Por: AE

Por: Estado de Minas

Publicado em: 31/01/2019 08:50 Atualizado em:

Militares participaram de solenidade de agradecimento e despedida no 12º BI, no Barro Preto. Foto: Divulgação
Militares participaram de solenidade de agradecimento e despedida no 12º BI, no Barro Preto. Foto: Divulgação
Os 136 soldados e oficiais israelenses que estavam desde o último domingo em Minas Gerais para ajudar nas buscas por vítimas do rompimento da barragem da Vale em Brumadinho, na Grande BH, se despedem do Brasil nesta quinta-feira. Policiais militares do estado, integrantes do Comando Aéreo e do Corpo de Bombeiros participaram de uma solenidade de agradecimento e despedida da tropa nesta manhã no 12º Batalhão de Infantaria (BI), no Barro Preto, em Belo Horizonte. 

Na cerimônia, o coronel Golan Vach, chefe da delegação, disse que se sente honrado em ter contribuído com os trabalhos, chamou os brasileiros de amigos e colocou um patch do Brasil em um dos braços. Ainda durante a solenidade, o embaixador de Israel no Brasil, Yossi Shelley, agradeceu aos militares e falou sobre a importância de uma parceria tecnológica entre os dois países para melhorar a vida da população. O governador Romeu Zema (Novo) também estava presente. 

Já em relação ao retorno das tropas israelenses, o governo brasileiro não sabia explicar exatamente as razões à noite. A divisão de protagonismo de trabalho no socorro às vítimas da tragédia de Brumadinho tem causado vários "curtos-circuitos" entre o governo de Minas e as Forças Armadas. Essas colocaram um contingente de mil homens, desde sexta-feira, para auxiliar no resgate de sobreviventes. Só que não houve solicitação de uso do grupo. O governo de Minas informou que não havia necessidade daquele tipo de apoio e, se precisasse, solicitaria. A avaliação de militares é de que o salvamento de Brumadinho "está muito politizado".

Os militares começaram a trabalhar na segunda-feira e foram informados de declarações do comandante das operações de resgate, tenente-coronel Eduardo Ângelo, de que os equipamentos trazidos de Israel para Brumadinho (MG) não eram efetivos para esse tipo de desastre. Questionado, o governo de Minas Gerais esclareceu que "não houve recusa de colaboração de militares" e tropas federais poderão ser solicitadas "caso haja necessidade". Um voo de Confins para Tel Aviv está previsto para as 17h de hoje. 

Por meio de uma nota que circula nas redes sociais, a Embaixada de Israel informou que “deseja parabenizar as forças de resgate brasileiras e israelenses por seu trabalho e por traduzir de palavras para ações a profunda amizade entre o povo brasileiro e o israelense”. 


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.


Últimas